[ ]
Notícias de Última Hora
Por Notícias de Resende | quarta-feira, 22 de julho de 2015 | Publicado em , | Com 0 comentários
O Presidente da Câmara Municipal de Resende, Garcez Trindade, vai proceder à entrega dos prémios relativos ao incentivo da criação de bovinos de raça arouquesa, no próximo dia 25 de julho, pelas 12h00, na tradicional Feira de S. Cristóvão, na Serra do Montemuro.

Este ano vão ser atribuídos prémios a 171 animais, de 64 produtores do concelho, correspondendo a um total de 17.100,00 euros em incentivos, de acordo com as Normas Reguladoras de Atribuição e Incentivos à Criação de Gado Tradicional. De referir que o regulamento atribui por uma única vez e por animal, um prémio de 100,00 euros aos produtores proprietários de Raça Arouquesa, com seis ou mais meses de idade, até ao limite de 30 meses, ou independentemente da idade, no caso de bovinos fêmeas reprodutoras, destinadas à reprodução do efetivo pecuário no concelho.

Do programa da feira consta, ainda, um Concurso Pecuário de Bovinos de Raça Arouquesa, a partir das 9h30, e respetiva entrega de prémios, às 13h30. Pelas 16h00 decorrerá uma mostra de reprodutores (touros e carneiros). Mas a festa inicia-se na noite de 24 de julho, a partir das 21h30, com uma noitada onde a Banda Projeto promete uma noite de grande animação.

Recorde-se que a Feira de S. Cristóvão é de origem remota e realiza-se todos os anos no dia 25 de julho. Neste dia convergia para aqui a população das redondezas em procissões de penitência, celebrando uma eucaristia na Capela de S. Cristóvão e aproveitavam a realização de uma feira de gado nas proximidades para efectuarem os seus negócios, conviverem e comerem os seus merendeiros.

Nos últimos anos, para além da tradicional feira de gado bovino e do concurso pecuário de bovinos de raça arouquesa, o Município procede à entrega dos prémios de incentivo à produção desta raça autóctone, valorizando um segmento importante da actividade económica do concelho e incentivando o renascimento da tradição da criação de gado arouquês.
Por Notícias de Resende | terça-feira, 7 de julho de 2015 | Publicado em , , | Com 0 comentários
No dia em que a Casa do Futebol Clube do Porto em Cinfães completava dez anos de vida, o Presidente do Clube, Jorge Nuno Pinto da Costa não quis faltar à festa, num dia com muito calor.

O dia 4 de Julho de 2015 começava com a viagem de Pinto da Costa até Porto Antigo, Cinfães, bem perto do rio Douro, para um almoço no Hotel Porto Antigo com vários convidados, entre a comitiva do F.C. Porto, os Órgãos Sociais da Casa do F.C.P. em Cinfães e vários órgãos da Câmara Municipal de Cinfães, promotora do repasto, como o Presidente do Município, Armando Mourisco. De seguida, por volta das 15H, o Presidente Azul e Branco foi recebido no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Cinfães, com uma Sessão Solene em que discursou para uma sala cheia de adeptos portistas. Nas palavras dirigidas aos presentes, Pinto da Costa avisou que não falaria de futebol, aproveitando apenas para deixar várias mensagens ao governo no que ao esquecimento dos concelhos do interior diz respeito.

“Desde a implantação da democracia, estamos perante aquele que talvez seja o Governo mais centralista que Portugal teve. Não tenho a mínima dúvida de que em relação ao Norte, e em especial ao Interior Norte, é sem dúvida o mais centralista de todos. Faço votos para que as coisas mudem”, atirou Pinto da Costa, criticando a forma de governar da Coligação do PSD/CDS que assumiu a tutela no ano de 2011 e que caminha para o final do mandato.

Depois das palavras dirigidas aos presentes, onde afirmou identificar-se com a forma de estar do autarca local na presidência da Câmara porque está no F.C. Porto com “a mesma grande paixão”, deixou uma mensagem no Livro de Honra do Concelho e presenteou pessoalmente Armando Mourisco, Presidente da Câmara Municipal de Cinfães, com uma lembrança pelos 24 anos de casado que completava naquele dia.

Antes de terminar a visita a Cinfães, em que Pinto da Costa se fez acompanhar pela sua mulher Fernanda Pinto e pelos dirigentes portistas Alípio Jorge e Fernando Gomes, passou pela Sede da Casa do Futebol Clube do Porto em Cinfães para descerrar a placa comemorativa do 10º Aniversário e partir o bolo da delegação aniversariante. Pinto da Costa foi ainda distinguido com o Cartão de Sócio Honorário da Casa que lhe foi entregue pelo Presidente da Casa do Futebol Clube do Porto em Cinfães, Alexandre Teixeira e retribuiu com várias lembranças que entregou na mão do responsável máximo da delegação.

A Festa do 10º Aniversário da Casa do F.C.P. em Cinfães continuou pela tarde e noite dentro no Largo da Fonte dos Amores, com comes e bebes acompanhados pela atuação de vários grupos musicais.

João Pereira
joaopereira@noticiasderesende.com
Por Notícias de Resende | quarta-feira, 1 de julho de 2015 | Publicado em , , | Com 0 comentários
No dia 27 de junho, pelas 10h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Mesão Frio, decorreu a cerimónia de entrega das bolsas de estudo do ano letivo 2014/2015, a vinte alunos que, não obstante a sua situação económica, tenham tido aproveitamento escolar e que pretendam melhorar e elevar a sua formação profissional. A atribuição foi destinada aos estudantes economicamente carenciados, residentes no concelho e matriculados e inscritos num estabelecimento de ensino superior e técnico-profissional que, como tal, sejam reconhecidos pelo Ministério da Educação. À cerimónia compareceram o presidente da Câmara Municipal, Alberto Pereira, o presidente da Assembleia Municipal, Carlos Miranda, a Vereadora da educação, Cristina Major, a diretora do Agrupamento de Escolas Professor António da Natividade, Aldina Pereira, os presidentes de todas as Juntas de freguesia do concelho, alunos, pais e encarregados de educação.

O presidente da autarquia começou por cumprimentar todos os presentes, esclarecendo o motivo pelo qual só agora foram entregues as bolsas de estudo do ano letivo 2014/2015: “foram abertas as candidaturas às bolsas de estudo e, apercebemo-nos, no final, que uma grande percentagem de alunos iria ficar excluído de todo este procedimento, porque nós, quando abrimos este concurso, colocamos dez alunos com escalão 1 e dez alunos com escalão 2 e 3. Com o decurso do processo, chegamos à conclusão de que havia dezasseis alunos do escalão 2 e 3 e cinco alunos do escalão 1. Esta disposição ia fazer com que nós, só pudéssemos oferecer bolsas de estudo a quinze alunos. Portanto, quisemos que todos ficassem abrangidos e foi proposta uma alteração ao regulamento, que foi apresentada em reunião de Câmara e em Assembleia Municipal. Esta demora deveu-se a essa mesma alteração”, justificou o presidente da Câmara Municipal, que deixou votos de sucesso aos estudantes na prossecução dos seus estudos, reconhecendo que, a atribuição das bolsas de estudo não resolve os problemas económicos das famílias, no entanto, é uma comparticipação para facilitar o pagamento dos custos com os seus estudos.

A partir de setembro, os alunos residentes no concelho, comprovadamente carenciados e com aproveitamento escolar, podem voltar a candidatar-se a uma nova bolsa de estudo. Para isso, têm também de estar matriculados e inscritos num estabelecimento de ensino superior ou técnico-profissional.

A Autarquia de Mesão Frio, que neste mandato tem levado a cabo uma política de apoio às famílias mais necessitadas, tem afirmado a sua forte cooperação nas áreas social e educativa, estando para isso, a conceder transporte gratuito a todos os alunos residentes nas freguesias do concelho e localidades vizinhas, que frequentem o Agrupamento de Escolas professor António da Natividade. A comparticipação de manuais escolares aos alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico e ainda, o Banco de Livros Escolares para todas as crianças e jovens do concelho a frequentar o 1.º, 2.º e 3.º Ciclos dos Ensinos Básico e Secundário, são também apoios educativos imprescindiveis.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
Mais duas empresas foram criadas em Cinfães, um sinal evidente da confiança dos investidores no Concelho. Trata-se da Naturalegenda – Artesanato e Design, Lda. e a Bastião da Natureza Unipessoal, Lda. Ambas vão beneficiar de um apoio da Câmara Municipal ao abrigo do programa de apoio à economia e emprego implementado pelo atual executivo. O apoio a estas duas empresas traduz-se na cedência, através de contratos de comodato, de duas escolas primárias desativadas.

A Naturalegenda – Artesanato e Design Lda. é uma empresa dedicada às atividades de produção de sabonetes e produtos de cosmética artesanais e biológicos; produção e venda de artesanato recriado com design; arte; pintura; produtos de cerâmica; latoaria, artigos de decoração; carpintaria; restauro de mobiliário; formação e organização de eventos; degustações, workshops, promoção de produtos e artes. Esta empresa pretende, ainda, desenvolver programas de formação para a saúde, reciclagem, ecoturismo (artesanato) nos mais diversos escalões etários e colaborar na criação de uma escola de artesãos. O apoio concedido a esta empresa foi a cedência da Escola do Ameal, na freguesia de Santiago de Piães, que será transformada num espaço de produção de produtos, com uma área de venda e outra de exposição de artesanato com produção ao vivo.

A Bastião da Natureza Unipessoal, Lda, empresa que se vai dedicar à animação turística nas áreas da prática de desportos aquáticos, eventos desportivos, passeios turísticos e atividades lúdico desportivas vai instalar-se na Escola Primária de Boassas, na freguesia de Oliveira do Douro, tendo-lhe sido cedida uma sala de aulas para o armazenamento dos equipamentos e o espaço de recreio deste edifício para a realização de ações de formação para a prática de desportos náuticos, nos mais diversos escalões etários.

A par do apoio a estas duas empresas que contribuirão para a promoção e desenvolvimento turístico do Concelho, a Câmara Municipal vai apoiar também, no âmbito deste programa de apoio à economia e emprego, a empresa de calçado Andreia Mota Unipessoal, Lda., a laborar na freguesia de Souselo. No caso concreto desta empresa o apoio concedido foi a atribuição de um subsídio no valor de €60.600,00, pela criação de 20 postos de trabalho, a liquidar de acordo com o definido no contrato de concessão de apoio ao investimento.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
Encerrou na passada sexta-feira, dia 26 de junho, o projeto «Viver mais, viver melhor», um plano implementado pela Câmara Municipal de Mesão Frio, que contemplou as atividades de hidroterapia e ginástica. A sessão de encerramento aconteceu na Avenida Conselheiro Alpoim, com uma aula de ginástica orientada pelo professor André Osório. Os sessenta utentes inscritos despediram-se assim, das aulas de ginástica proporcionadas ao longo deste ano, uma vez por semana, nas cinco freguesias do concelho e das aulas hidroterapia, que decorreram na piscina municipal coberta. O transporte para os utentes da hidroterapia foi sempre assegurado pela autarquia de forma gratuita e ambas as modalidades tiveram um seguro incluído.

Este programa permitiu a realização de atividades físicas de forma segura e controlada, ajudando os munícipes do concelho de Mesão Frio a melhorar a sua condição física e psíquica. As aulas de hidroterapia destinaram-se a munícipes com mais de 65 anos e as aulas ginástica, a munícipes com mais de 55 anos e ainda, a munícipes que, embora não tendo a idade indicada, tivessem apresentado aconselhamento médico para a sua frequência.

No concelho de Mesão Frio, o envelhecimento da população é uma realidade que conduz muitas vezes ao isolamento. Esta foi uma das formas que a autarquia encontrou para dar resposta às necessidades específicas desta camada mais frágil da sociedade, sendo que o exercício físico é um fator de prevenção de várias doenças, melhorando consideravelmente as condições de vida da pessoa idosa.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
Foi com grande emoção que a Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio assinalou os seus 455 anos de existência, no passado dia 27 de junho, com diversas cerimónias protocolares que decorreram durante o período da tarde e que culminaram com um jantar de gala. As comemorações foram dedicadas ao nobre papel social que esta instituição tem desempenhado no concelho ao longo de quase cinco séculos e, sobretudo, às personalidades ligadas à sua história.

Desde a sua origem enquanto instituição religiosa e de assistência, que a Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio atraiu até si a elite do concelho, criou um hospital e não mais parou de crescer. O seu constante progresso faz com que hoje, desenvolva uma série de valências, destinadas, sobretudo às crianças, aos jovens e idosos. Considerando o seu legado histórico e patrimonial, que fazem desta instituição uma das mais importantes na vida pública dos mesãofrienses, a Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio, preparou cuidadosamente um programa para celebrar esta data de tão elevada importância.

Pelas 14h30, procedeu-se ao hastear da bandeira da Santa Casa da Misericórdia, com a Guarda de Honra da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mesão Frio, na frontaria do Lar Padre Manuel António Leite. Já dentro das instalações do lar, sucedeu-se ao descerramento do Memorial do Provedor, onde constam os nomes dos cento e dez homens que foram provedores e que se dedicaram à nobre causa desta Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) durante todos estes 455 anos. Alberto Pereira, atual Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio, juntamente com os três trisnetos de Francisco de Sampaio Moreira (o mais importante benemérito da Misericórdia de Mesão Frio nos últimos 200 anos, dedicado a partilhar as sobras da sua mesa farta com os mais desfavorecidos), procederam ao descerramento do memorial. De referir que os trisnetos de Sampaio Moreira atravessaram o Atlântico, desde o Brasil a Mesão Frio, para presenciarem esta merecida homenagem. Joaquim Portela, o único ex-provedor em vida e a quem foi prestada a sua reconhecida homenagem, não pode estar presente nas festividades por motivos de saúde, a quem foram deixados desejos de rápidas melhoras.

Pelas 15 horas, na igreja de Santa Cristina, o Padre Luís Marçal celebrou a missa solene em sufrágio de todos os Irmãos e Benfeitores já falecidos, da Misericórdia de Mesão Frio. À cerimónia compareceram os elementos da Mesa Administrativa, o Provedor, os funcionários da IPSS, entre outros convidados. Destaque para a brilhante homilia por parte do pároco, apelando à prática das catorze obras de misericórdia.

No final, houve um Porto de Honra na sede da Junta de freguesia de Mesão Frio Santo André. Pouco depois, no auditório municipal, foi apresentada a grande obra literária dedicada à história da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio - «A Misericórdia de Mesão Frio - Perfil de uma história documentada 1560-2014». A obra de Bernardino Vieira de Oliveira, dividida em dois volumes, é composta por 830 páginas que resumem e honram a longa história desta instituição.

Na cerimónia de apresentação do livro, o Provedor Alberto Pereira referiu assistir “com redobrado gosto” ao lançamento desta obra: “Dada a relevância desta tão nobre instituição e correndo o risco de muito ficar por dizer e escrever, tornou-se evidente a necessidade de se desenvolver um projeto que desse a conhecer as origens desta instituição, a sua ação assistencial e hospitalar, no passado e no presente. Na passagem dos 455 anos, a atual direção considerou ser este o momento oportuno para assinalar a importante data com a publicação de um livro sobre a história da Misericórdia.” Alberto Pereira mencionou também que é objetivo desta obra “prestar uma sentida e singela homenagem a todos aqueles que contribuíram com o seu esforço para o engrandecimento e prestígio da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio.”

Quem também usou da palavra foi o presidente da Assembleia Municipal, Carlos Miranda, na qualidade de apresentador do livro, tendo escrito um breve introito nesta obra de dois volumes. Na sua intervenção, deu os parabéns à Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio pela data comemorativa e a todos aqueles que fizeram desta a ilustre instituição que é hoje. Relativamente à sua colaboração no livro afirmou que o convite partiu do seu autor, Bernardino Vieira de Oliveira: “A proposta vinda diretamente do escritor, apresentada como um pedido irrecusável, demonstra por si só, a humildade e generosidade do proponente, uma oferta e uma consideração.” Sobre a obra, Carlos Miranda declarou: “Recordá-la-ei até ao fim dos meus dias, falarei dela aos meus vindouros. Bernardino de Oliveira é o exemplo de tenacidade, perseverança e audácia e revela em toda a sua obra um rigor inexcedível.”

Ainda na apresentação da mais recente obra da Misericórdia, o seu autor Bernardino Vieira de Oliveira disse que, “a memória escrita de qualquer instituição secular foi sempre muito mais de gente já desaparecida, do que daqueles que ainda hoje vivem. Quando o atual provedor me convidou para escrever a história da Santa Casa de Mesão Frio, confesso não ter sido totalmente honesto, porque perante o caudal imenso de informação documentada que se encontra no arquivo desta instituição, eu deveria ter recusado, isto porque eu precisava de vinte anos para escrever vinte volumes sobre a história da Misericórdia de Mesão Frio. Mas acabei por aceitar o honroso convite, com muito orgulho e alguma vaidade em ser eu o autor desta obra.“

Pelas 20 horas, no pavilhão multiusos municipal, decorreu o grande jantar de gala e de homenagem às personalidades ligadas à história da instituição, onde compareceram o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio, Alberto Pereira, o secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social, Agostinho Branquinho, o diretor do Centro Distrital da Segurança Social de Vila Real, José Rebelo, o presidente da Assembleia Municipal, Carlos Miranda, o vice-presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio, Paulo Silva, entre muitos outros ilustres convidados.

No final do jantar, aconteceu a grande cerimónia de homenagem com a entrega de diplomas de provedor honorário a descendentes de antigos provedores da Mesa Administrativa, aos funcionários com mais tempo de serviço e a alguns beneméritos desta instituição. Terminadas as reconhecidas homenagens, usaram da palavra Luís Alves, presidente da Assembleia Geral da Irmandade, o Provedor, Alberto Pereira, e Agostinho Branquinho, Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social.

Luís Alves, presidente da Assembleia Geral da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio, dirigiu-se a todos os presentes, demonstrando o seu contentamento: “Sentimos uma enorme satisfação e um grande orgulho por fazer parte desta instituição que há vários séculos está na primeira linha do apoio aos mais necessitados. É importante homenagear todos os responsáveis pela continuidade desta obra que, neste concelho, se mantém viva e cada vez mais forte, cumprindo a sua missão original.” O presidente da Assembleia Geral lembrou ainda que nem tudo tem sido simples na história de vida desta Misericórdia: “Não podemos esquecer que muitas são as dificuldades que esta irmandade tem sentido, na realização de alguns projetos de alargamento e de melhoria das suas valências. Acreditamos, ainda assim, que iremos conseguir ultrapassar estes constrangimentos. Luís Alves terminou o seu discurso, destacando o trabalho e dedicação de todos aqueles que fizeram parte dos órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio e, em especial, daqueles que atualmente dirigem tão “nobre” instituição: “Temos a convicção de que o trabalho realizado só foi possível contando com a colaboração de todos aqueles que sentem que pertencer a esta instituição é um privilégio, mas também uma grande responsabilidade. Disso são exemplo os funcionários homenageados pela sua dedicação e pelo seu trabalho.”

O Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio lembrou que um dos pilares que sustentou a administração desta Misericórdia durante toda a sua existência “foram os inumeráveis legados pios de pequenos e grandes feitores. No que respeita à presença do Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social nesta cerimónia, Alberto Pereira lembrou que “é sempre muito gratificante poder contar com a presença de um membro do Governo, para que nos possa escutar e levar para Lisboa, algumas das nossas preocupações e também confirmar, ‘in loco’, o que se vai fazendo, em termos sociais, pela gente de Mesão Frio”, disse, dirigindo o seu agradecimento a Agostinho Branquinho.

O Provedor afirmou ainda que este data “é muito importante para o concelho, porque fez-se história e ficará registado na memória de todos nós. Mercê das várias gerências levadas a cabo, com experiência e prudência, ao longo dos anos, a instituição alcançou, com confiança a sua sustentabilidade, consolidada de uma prática na assistência social integralmente justa, integrada na comunidade em que se insere. A Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio, nos 455 anos de história que hoje, muito justamente aqui se comemora, é o fruto e testemunho desse sentimento bondoso que se chama misericórdia e que tanto dignifica as gentes que a praticaram. Em nome de todos os mesãofrienses, gostaria de agradecer profundamente aos 109 provedores que me antecederam e a todos os elementos que os acompanharam nos órgãos sociais, pois permitiram que esta instituição sobrevivesse ao longo do tempo, prestando um trabalho importantíssimo à comunidade.”

O Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social, agradeceu o convite endereçado pela Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio e saudou todos os presentes “como devem imaginar, não é fácil fazer a história de uma instituição com 455 anos. Atravessou vários regimes, teve o domínio estrangeiro poucos anos depois de ser fundada, passou por uma mudança brutal no início do século vinte, com muitas revoluções e muitos tumultos. Portanto, só uma instituição que tem valores muito importantes no coração das pessoas que a integraram e integram, consegue viver estes anos todos. Há poucas instituições no mundo que conseguem ter 455 anos. Só alguém que soube alicerçar bem os seus valores e a sua missão é que consegue durar 455 anos.” Agostinho Braquinho terminou fazendo menção ao trabalho “notável” da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio e recebeu uma singela lembrança pelo presidente da Câmara Municipal, Alberto Pereira.

A gala foi apresentada por Beatriz Coutinho e Marco Ferro. A animação ficou a cargo de José Freitas, um dos finalistas do programa da SIC, «Fator X».

A Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio teve a sua origem em 1560, tendo sido seus fundadores, André da Fonseca e Verónica Mesquita. Esta IPSS do concelho de Mesão Frio tem desempenhado uma função social digna de realce, sendo detentora de um enorme património histórico do concelho de Mesão Frio. É mérito desta instituição acolher e servir atualmente perto de 400 utentes.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
Cinfães já tem uma Casa Mortuária. A nova infraestrutura foi benzida no dia 30 de junho pelo pároco da freguesia Francisco Marques. Trata-se de uma obra desejada há muito pela população, que se reuniu para assistir à bênção deste local. Na cerimónia também marcaram presença o Executivo Camarário, Presidente da Assembleia Municipal, Presidente da Junta de Freguesia e vários Deputados Municipais.

A Casa Mortuária vem colmatar uma necessidade há muito sentida pelos habitantes, uma vez que não existia na localidade nenhum espaço para cumprir esta finalidade. Trata-se de um investimento que ronda os 140 mil euros e que permitirá, a partir desta data, que a população tenha um espaço com dignidade e conforto, para prestar as últimas homenagens aos seus familiares e amigos.

Esta empreitada foi executada pela empresa Manuel Pereira dos Santos e o projeto da obra foi da responsabilidade de João Frederico Loureço Perpétuo, Lda.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
As férias de Verão já chegaram! E com elas a vontade de ocupar os tempos livres de uma forma saudável e construtiva. A Câmara Municipal do Marco de Canaveses propõe, de 6 a 17 de Julho, os ateliers de verão “Férias Animadas na Biblioteca”.

As actividades vão decorrer na Biblioteca Municipal (junto aos Paços do Concelho), de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 12h30.

Uma iniciativa desenvolvida a pensar nas crianças dos 4 aos 10 anos de idade e que prevê várias actividades lúdicas, tais como: pintura, dança, jogos tradicionais, teatro, criação de histórias, expressão musical, cerâmica, pintura facial, entre outras.

As inscrições são gratuitas e devem ser efectuadas na Biblioteca Municipal, no horário de expediente, das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, por telefone 255 538 800 (extensão 301) ou via e-mail biblioteca.atendimento@cm-marco-canaveses.pt.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
Carlos  Queirós estreia-se em Baião, com a apresentação do seu segundo livro “Lobos na Cidade”, no dia 03 de julho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, pelas 21h30m.

O romance “Lobos na Cidade” surge na sequência de “Trilho de Lobos”, do mesmo autor, retrata a e retrata a história de vida do eremita “Miguel Aprígio” que foge da prisão e acaba refugiado numa montanha. O eremita passa assim a criar lobos que acabam por tornar-se os seus melhores amigos e aliados, na procura da sua filha, ao longo de toda a narrativa.

Carlos Queirós nasceu em 1967 é natural do Marco de Canaveses, o seu gosto pela escrita surgiu aos 15 anos de idade. Em 1987 escreveu uma fábula  “O  S(u)ínos de D. Alice”, o qual integrou as antologias dos escritores marcoenses, iniciativa promovida pelo Município do Marco de Canaveses. Em 2011 edita o seu primeiro livro “Trilho de Lobos”.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
Este verão o cinema chega novamente a espaços públicos de Baião, proporcionando aos cidadãos baionenses serões culturais de excelente nível.

O Município realiza a segunda edição da iniciativa “Cinema Fora do Sítio”,  com sessões de cinema ao ar livre, que propõe no dia 3 de julho o filme “ANNIE”, uma comédia/musical para maiores de 6 anos, no Centro Cívico de Santa Marinha do Zêzere.
 
No dia 17 de julho é a vez do Centro Cívico de Ancede  receber  o filme “À NOITE NO MUSEU: O SEGREDO DO FARAÓ”, uma comédia  para maiores de 12 anos.

A 14 de Agosto na Praça Francisco Sá Carneiro, na Vila de Baião, poderá ver “O AMIGO DO PEITO”.

Os filmes serão exibidos às 22 horas e a entrada é livre.

O evento é organizado pela Câmara Municipal de Baião e pelo INATEL, conta com o apoio das freguesias de Ancede e Ribadouro; Campelo e Ovil e Santa Marinha do Zêzere.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
No próximo dia 04 de julho o Auditório dos Serviços Municipais Desconcentrados de  Santa Marinha do Zêzere vai encher-se de cultura.

“Música e Músicas, História e Histórias”, com a participação de Arnaldo Trindade e dos músicos: Carlos Andrade, João Teixeira e José Silva é uma das iniciativas, promovidas pela Associação Amigos de São Tomé de Covelas, liderada por Carlos Magalhães , que se vão desenvolver a partir das 16 horas naquele espaço.

Arnaldo Trindade, um homem, com origens em Baião, vai contar  a sua história e histórias por dentro dela. Com 85 anos, deixa-nos um legado de valor incalculável. Um humanista, que viveu sempre muito à frente do seu tempo. Através da sua Editora Orfeu, deu a conhecer  escritores como Miguel Torga, e autores e cantores como Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Chico Buarque,  entre outros.

Segue-se a apresentação do livro “Alma a Nu”, de Carlos Azevedo. Natural de Góis e desde muito pequeno residente no concelho de Baião, onde exerceu a sua profissão de médico mais de 3 décadas. Agora reformado dedica-se à poesia que sempre o fascinou.

O livro “Alma a Nu” resultou da junção de dois trabalhos, o 1º intitulado Grito, o 2º Inquietude. No total são 77 poemas que no fundo são estados de alma, um misto do perpassar pelas memórias pessoais acrescido da contemplação das imagens que se vão colhendo no tempo presente.
 
O autor perdendo a timidez que lhe é inerente dá o salto e avança, libertando-se de grilhetas e amarras, transforma-se em pensamento liberto e fala de sentimentos e emoções, fala do desnorte que é a vida e também do enorme sofrimento que a mesma acarreta, mas não deixa de procurar a outra face da moeda, de fazer festa com esta existência, de observar simplicidades que o rodeiam e que no fundo embelezam este caminhar.
Por Notícias de Resende | terça-feira, 30 de junho de 2015 | Publicado em , | Com 0 comentários
A Câmara Municipal de Castro Daire organizou as Festas do Concelho, que decorreram de 26 a 29 de junho.

Na edição deste ano contou com a participação de milhares de pessoas nas diversas iniciativas levadas a cabo durante os quatro dias de realização destas Festas Populares em Honra de S. Pedro.

O destaque deste ano foi a recriação da Rota da Ultima Rota da Transumância realizada em Castro Daire. Esta Rota da Transumância trouxe até às ruas da Vila de Castro Daire muitas centenas de espetadores que quiseram vivenciar e assistir à passagem do Rebanho, composto por mais de 600 Ovelhas, rebanho esse que percorreu um dos trajetos do percurso da Transumância, desde a Aldeia de Ribolhos até ao Parque das Carvalhas na Vila de Castro Daire.

Com a participação e interação do público, foram muitos aqueles que puderam acompanhar o rebanho, que ficaram a conhecer melhor as tradições e costumes dos pastores e que viveram este atividade como uma prova da cultura local.

Outro ponto alto destas Festas do Concelho foi as Marchas Populares de S. Pedro, que desfilaram na noite de domingo, dia 28 de junho. Perante milhares de pessoas foram 10 as marchas participantes deste ano, enchendo de festa, de brilho e de animação o percurso de atuação, perante o regozijo e satisfação dos presentes.

As Festas do Concelho contaram, ainda, com um cartaz cultural bem diversificado e preenchido, trazendo até ao Parque Urbano da Vila de Castro Daire, local de realização destas Festas, muito publico que aderiu em massa a este evento, criando uma dinâmica de animação e diversão que contagiou a Vila de Castro Daire por estes dias.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , , | Com 0 comentários
Pela terceira vez em Cinfães, os’ “Azeitonas” deram um concerto nas Festas de S. João para milhares de pessoas que fizeram questão de estar presentes, de todas as idades. João Pereira, não perdeu a oportunidade de estar a conversa com os elementos da banda no fim do concerto. Numa entrevista que fala das origens d’ “Os Azeitonas”, da relação com Rui Veloso, do público, dos concertos e da tournée deste verão. Sempre com boa disposição e uma ironia característica, deixaram-nos nesta conversa muito da sua história.

JP – Como surgiu a ideia de formarem “Os Azeitonas”?

Miguel Araújo – Do chão como todas as coisas da natureza… brotou do chão.

Salsa – Não há grande história… É como todas as bandas, um grupo de amigos que se juntou para tocar e pronto, foi assim! É exatamente isso.


JP – Foi muito por Rui Veloso que editaram o primeiro disco. Como é essa relação com ele?

Salsa – Essa foi a razão pela qual a coisa começou a ser séria. A banda já existia há dois, três anos mas nunca nos levamos a sério e íamos tocando porque era divertido tocar e íamos fazendo músicas porque era divertido fazê-las. Nunca nos passou pela cabeça fazer disto uma carreira ou estar aqui a dar esta entrevista nem andar a fazer coliseus mas por causa de um convite do Rui Veloso para uma maquete, fomos lá gravar um CD e de repente estávamos a passar nas rádios portuguesas e a ter convites mais sérios.



JP – Como viram a nomeação para os Best Portuguese Act nos Europe Musica Awards em 2012? Foi uma surpresa?

Miguel Aráujo – Não vimos assim muito porque não é assim aquele prémio que uma pessoa ligue muito. Nós vimos com mais satisfação quando fomos nomeados para um Globo de Ouro. Esses prémios da MTV não é assim uma coisa de grande relevância.

Salsa – Eu acho que tem a ver com o sucesso, não é? Passamos muito na rádio, acabamos por ser nomeados, uma consequência óbvia, de qualquer maneira foi simpático.

Luísa – E hoje em dia a MTV nem sequer passa música, só dá realty-shows, não percebo muito bem o que é que se passa lá. Nós não aparecemos pelo menos, mas fomos nomeados para o prémio.


JP – Com 13 anos de carreira, têm algum momento que consideram o ponto alto da banda?

Marlon – O mais alto foi Manteigas no Carnaval, a 2000 metros de altitude. Estava a nevar e foi difícil carregar o material.


JP – Como é que vêem a vossa posição atual na música portuguesa?

Miguel Araújo – Do lado de cá do palco… Vemos as pessoas à frente!

Salsa – Andamos assim atrás dos Xutos… E vamos ultrapassá-los! [Vão ter mais de 35 anos de carreira?] Miguel A. – Vamos, no mínimo 35!

Luísa – Se vivermos até lá…

Marlon – Vamos ter 36 anos!

Salsa – Eu não tenho andado a fazer por isso, confesso.



JP – Quando é que aconteceu a vossa explosão mediática?  

Miguel Araújo – Foi quando saiu a primeira crítica ao nosso primeiro disco na Blitz, duas estrelas em dez… (risos) A partir daí resolvemos nunca mais parar!

Luísa – Foram quatro, foram quatro estrelas...

Salsa – Foram duas, nós emolduramos isso!

Miguel A. – Pronto, foram quatro… Quatro estrelas em dez.

Marlon – Sendo que nós somos quatro, uma estrela para cada um foi ótimo.

Miguel A. – Foi a nossa primeira explosão mediática…

Marlon – Foi espetacular a minha cara aparecer no jornal em ponto grande.

Luísa – E dizia que nós eramos uma banda que soava melhor ao vivo!

Salsa – Sim, na verdade foi um elogio… foram muito simpáticos até.



JP – Consideram “Anda Comigo ver os Aviões” a música que vos deu a conhecer ao público português?

Marlon – Não. A música que nos deu a conhecer ao público português foi uma música chamada “Sinto-te em mim”.

Salsa – Era pouco público, mas eram portugueses…

Marlon – Agora ao grande público talvez a música “Sinto-te em mim” (risos).

Miguel A. – Eram portugueses e eram grandes na altura.

Marlon – Eram tipo 16 pessoas na altura, era uma equipa de basket!


JP – Muitas das vossas músicas têm referências ao Norte, principalmente à cidade do Porto? Têm alguma explicação para isso?

Luísa – Somos todos de lá!

Marlon – A nossa vida é lá por isso é normal que uma pessoa fale de lá.

Salsa – Mas também fazemos muitas referências a Lisboa e a Hollywood.

Miguel A. – Temos muitas referências à América… à América do Norte, lá está… [Mas por algum motivo o Norte?] É como diz o Rui Reininho: “A bússola aponta ao Norte!”.


JP – Os concertos ao vivo, perto do público são muito importantes para uma banda?

Miguel A. – É onde está o dinheiro! (risos).

JP – Sentem diferenças entre concertos no interior do país e no litoral? O público é diferente? Porquê?

Miguel A. – No litoral é mais frio, é muito mais perto do mar… no interior temos de vir mais agasalhados…

Salsa – O interior tem mais curvas também… Gasta mais pneu também…


JP – Sentem-se uma banda com músicas só para os jovens ou pra todas as idades? Qual é as reações que têm do público relativamente aos vossos concertos e às vossas músicas?

Luísa – A última parte.

Marlon – Temos aquele clássico dos 8 aos 80.

Miguel A. – Temos doces velhinhas a ver os nossos concertos, às vezes.



JP – Sei que já estiveram algumas vezes em Cinfães e que gostam de cá vir, o que está demonstrado numa das guitarras do Miguel Araújo, que tem um autocolante da Feira do Vinho de Cinfães. O que acham desta vila e destas gentes?

Miguel A. – É uma maravilha!

Luísa – Celso voltaaaaaa!!!

Salsa – O restaurante do Celso foi o primeiro onde calhámos…

Marlon – Comemos um arroz que estava maravilhoso e a partir daí consideramos o Celso o embaixador de Cinfães.


JP – Como vai ser a tourné deste ano? Têm muitos concertos agendados? O que pode esperar o público?

Miguel A. - "Exactamente a mesma coisa que foi hoje... o setlist é todo igual... tudo igual!

Salsa - Esperamos que as pessoas não repitam concertos! Por acaso não é verdade...


JP – Muito obrigado!

Luísa – Obrigada nós!
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
No dia 20 de Junho de 2015, os GNR viajaram até Cinfães para dar um concerto integrado no programa das Festas de S. João, para relembrar velhos êxitos mas também para apresentar músicas do novo álbum, “Caixa Negra”. Como é habitual, sempre que artistas nacionais visitam a Região Douro, João Pereira esteve à conversa com a banda, numa entrevista em que os elementos do grupo nos contam como surgiram, o que esperam dos concertos desta tournée, da vontade de trabalhar em projetos novos e também do Concelho de Cinfães e das gentes.

João Pereira – Como é que surgiram os “GNR”?

Toli César Machado – Surgimos como qualquer grupo que surge, na altura éramos miúdos de 17, 18 anos… Como qualquer grupo, fomos para uma garagem, o material estava montado e fomos experimentando e testando, até chegar ao improvável que é gravar um disco. Isto também é uma sorte!


JP – Porquê o nome “Grupo Novo Rock”?

Toli C. M. – Foi o nome apresentado na altura, havia vários nomes para escolher e na altura escolhemos esse. Estou a falar em 1980, estava eu, o Alexandre Soares e o Vítor. Não sei de quem surgiu a ideia, não foi minha mas estava lá o nome e ficou.



JP - Sentem que estão a renascer na música portuguesa? Os “GNR” estão aí para as curvas?
Rui Reininho – Sim, então com estas curvinhas até Cinfães… (risos) nem enjoamos nem nada! Sim, vai ser uma época em pleno, temos um ano seguido de concertos, pelo menos.

JP – O que é que esperam da tournée deste ano? É sobretudo para apresentar o novo CD?

Rui Reininho – Não só, mas também. Esperamos o melhor porque os espetáculos têm estado a correr muito bem.


JP – Os concertos ao vivo perto do público são muito importantes para uma banda? 

RR - São. E fora do chamado litoral (...) Para já, às vezes sentimos que há mais surpresa, mais interesse. O pessoal do litoral é muito mais blasé, não é? «Ai eu não vou ao concerto, tenho mais que fazer! Às dez horas? Mas a essa hora ainda estou a jantar!», são pouco flexíveis aquelas cabeças. Aqui há mais disponibilidade [das pessoas].


JP – Como se mantém a vontade de criar novos projetos ao fim de 33 anos de carreira?

Toli César Machado – Ao fim de 33 anos vamo-nos conhecendo melhor e temos vontade de fazer coisas diferentes e enquanto houver essa vontade vamos continuar a fazer discos e concertos. Enquanto nos divertirmos a fazer isto, enquanto houver ideias, vamos continuar.


JP – Apesar de algumas reformulações, entre saídas e entradas, os GNR conseguem manter-se intatos. Como é possível?

Toli C. M. – Não há grandes entradas. Esta formação, nós os três, já estamos desde 1986 juntos, trabalhamos sempre com músicos convidados nos concertos porque tem de ser e nos discos gravamos sempre só os três com o produtor.



JP – Em 2011 comemoraram 30 anos de carreira. Foi um ano inesquecível? 

Toli C. M. – Eu não gosto muito de andar a contar cartuxos… Temos discos novos, estamos aí… Há bandas que não têm, não é? Existem bandas que lançam um CD e têm anos de carreira sem fazerem mais nada. E depois comemoram 30 anos de carreira e já acabaram há 20…


JP – Como é que os “GNR” vêem o seu espaço na música portuguesa e até na música internacional? 

Toli C. M. – Na música internacional não existimos, vamos ser sinceros. Não há ilusões porque a indústria musical em Portugal não existe, não tem expressão. Em termos nacionais, temos o nosso espaço, somos uma banda importante.


JP – Já tinham estado em Cinfães? O que acham da Vila e das gentes?

Toli C. M. – Já tocamos em Cinfães. Eu hoje não tive tempo de ver mas eu gosto muito destas terras daqui. O meu avô por acaso não é daqui mas não é de muito longe, é de Resende. Gosto imenso desta zona daqui.



JP – Para além do novo álbum, “Caixa Negra”, quais são os projetos mais imediatos? Estão a trabalhar em alguma novidade?

Toli C. M. – Sim. Há 15 dias atrás gravamos o espetáculo acústico no Teatro Circo em Braga, vai sair através da revista Blitz, com versões diferentes, um disco novo com versões acústicas. Para o ano vamos ter algumas surpresas, não quero estar a revelar mas vamos ter algumas coisas importantes.


JP – Muito obrigado!
Toli C. M. – Muito obrigado!
Por Notícias de Resende | segunda-feira, 29 de junho de 2015 | Publicado em , , | Com 0 comentários
A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de operações, no decorrer do fim de semana (27 e 28 de junho), as quais visaram a prevenção e combate à criminalidade violenta, fiscalização rodoviária, entre outras, nos seguintes Distritos/Comandos Territoriais: Aveiro; Beja; Braga; Bragança; Coimbra; Évora; Faro; Guarda; Leiria; Lisboa; Portalegre; Porto; Santarém; Viana do Castelo; e Vila Real.

Deste conjunto de operações foram realizadas 169 detenções em flagrante delito, pela prática dos seguintes ilícitos criminais:
112 por condução sob o efeito de álcool;
16 por condução sem habilitação legal;
Seis por tráfico de estupefacientes;
Um por posse de armas proibidas;
Seis por furto;
Quatro por violência doméstica;
24 por outros crimes.

Das ações realizadas foram elaborados 163 autos de notícia por detenção em flagrante delito e 3340 autos de contraordenação a legislação diversa. Das apreensões realizadas destacam-se: 647 doses de haxixe; quatro doses de heroína; quatro armas de fogo; e três cães de raça/traçado de Pittbull.

No âmbito do trânsito, foram fiscalizados 6558 condutores e detetadas 2363 infrações, com destaque para: 303 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei; 1067 por excessos de velocidade (em 41784 controlos); e 10 relacionadas com tacógrafos.

O Comando Territorial de Viseu, no decorrer do fim-de-semana (27 a 28 de junho), no âmbito de fiscalização rodoviária, fiscalizou 178 condutores, tendo sido detidos 6 condutores por condução sob o efeito de álcool. Foram ainda elaborados 38 autos de contraordenação, destacando-se 2 por falta de seguro, 1 por iluminação e sinalização, 1 por falta de inspecção periódica obrigatória, 3 relativo à falta ou má utilização do cinto de segurança. Foram ainda detetados 12 excessos de álcool e 46 excessos de velocidade.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
No passado dia 25 de junho de 2015, nas instalações da Agito, Formação & Serviços, Lda., em Resende, decorreu a Sessão de Esclarecimento “Investe Jovem” promovida pela Associação Empresarial de Resende em parceria com o IEFP.

Este evento contou com a fundamental presença da Doutora Lurdes Pinheiro, técnica do IEFP, que elucidou a todos os jovens presentes as finalidades e pressupostos desta medida, respondendo ainda a todas as questões que foram surgindo no decorrer da sua apresentação.

Na abertura da Sessão a Vice-Presidente da Associação Empresarial de Resende, a Doutora Anabela Ribeiro de Oliveira, destacou o importante papel que este apoio pode proporcionar na vida dos jovens, permitindo-lhes inovar, empreender e criar as suas próprias oportunidades e desta forma contribuir para a construção do seu futuro profissional.

Foi uma atividade que permitiu aos jovens do Concelho de Resende tomarem pleno conhecimento da Medida “Investe Jovem” que se destina a pessoas entre os 18 e os 29 anos tendo como primordial objetivo promover e fomentar o empreendedorismo, a criação de emprego e o crescimento económico através de apoios financeiros ao investimento e à criação do próprio emprego.

A Sessão contou com casa cheia e com uma plateia bastante participativa e com vontade de saber todos os meandros deste apoio do IEFP.

Esta foi mais uma iniciativa da Associação Empresarial de Resende que com as suas diversas parcerias cumpre o seu primordial objetivo: o desenvolvimento da região, das suas empresas e das suas gentes.
Por Notícias de Resende | sábado, 27 de junho de 2015 | Publicado em , | Com 0 comentários
A versão final da proposta de revisão do Plano Director Municipal (PDM) do Marco de Canaveses foi aprovada por maioria na Assembleia Municipal que decorreu hoje, 27 de Junho de 2015, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Este processo, iniciado em 1997, arrancou verdadeiramente apenas em 2009 - já com o actual Executivo Municipal - e viveu em 2015 a fase de conclusão.

Manuel Moreira, Presidente da Câmara Municipal do Marco de Canaveses, principiou a sua intervenção agradecendo «à Comissão de Acompanhamento, equipa da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, aos colaboradores da Divisão de Planeamento e Gestão Urbanística da Câmara Municipal e à população marcoense, pelo empenho e contribuição para a elaboração deste documento que hoje trazemos a deliberação da Assembleia Municipal. Um obrigado a todos».

O Plano Director Municipal do Marco de Canaveses, «é o instrumento que disciplina toda a actividade com expressão no território, tendo em consideração as exigências contidas na legislação nacional que regula a elaboração dos instrumentos de gestão do território», contextualizou o Autarca realçando a necessidade de o Município «possuir um PDM que seja compatível com a estratégia de desenvolvimento territorial delineada e a implementar na próxima década».

Com a publicação da revisão do Plano Director Municipal de Marco de Canaveses, «inicia-se uma nova fase: a gestão do território. Todas as obras, particulares e públicas, têm que se conformar com estas regras. Todas as políticas públicas, a localização dos equipamentos, a construção de infraestruturas e a rede viária, devem cumprir e contribuir para a concretização dos objetivos nele incluídos», frisou Manuel Moreira.

Durante o período de discussão pública, a Câmara Municipal recebeu 312 contributos sobretudo relacionados com a utilização do solo rural, solicitando a reclassificação ou requalificação do solo, quer para integração em perímetro urbano, quer para integração em área de edificação dispersa ou aglomerado rural, nomeadamente de espaços classificados como espaço agrícola ou florestal.

Importa assim referir que com a aprovação deste novo PDM, «verifica-se um aumento de cerca de 25% da área de construção» relativamente ao PDM vigente. «Com a área agora acrescentada, e que resulta da auscultação aos cidadãos, é possível a construção de mais 5.842 novos fogos. Ou seja, se compararmos estes números com o que se passa hoje em dia, em que se registam aproximadamente 50 processos/ano para novos fogos, temos um grande aumento, o que vai de encontro às expectativas das pessoas!», exemplificou Manuel Moreira, Presidente da Câmara Municipal. O documento permite ainda mais 10% da área para zonas industriais, 35% do território para área de reserva ecológica e 30% de área de reserva agrícola.

O novo Plano Director Municipal do Marco de Canaveses fica marcado «por um trabalho que procurou demarcar as alternativas e possibilidades de evolução, em função de um conjunto de regras específicas nacionais, para fazer do Marco de Canaveses um Concelho aberto, atractivo, competitivo, dinâmico, equilibrado, ordenado, sustentável e equitativo. Trata-se de um PDM de nova geração, com uma visão estratégica actualizada para um maior desenvolvimento da nossa terra, Marco de Canaveses», concluiu o Edil Marcoense.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
A Câmara Municipal do Marco de Canaveses vai comemorar o Dia Mundial das Bibliotecas (oficialmente celebrado a 1 de Julho), com um conjunto de atividades de promoção do livro e da leitura e de divulgação da importância da Biblioteca Municipal enquanto "porta de acesso local ao conhecimento", essencial para "o desenvolvimento cultural do indivíduo e dos grupos sociais".

Neste sentido e para assinalar a efeméride, a Câmara Municipal de Marco de Canaveses irá promover no próximo dia 3 de Julho, sexta-feira, a apresentação do livro “Cabra-cega: do seminário para a guerra colonial”, da autoria de João Gaspar Carrasqueira (Chiado Editora).

O evento irá decorrer na Biblioteca Municipal, pelas 17h30, e é de entrada livre.