[ ]
Notícias de Última Hora
Por Notícias de Resende | terça-feira, 21 de fevereiro de 2017 | Publicado em , | Com 0 comentários
O Pavilhão Municipal de Anreade, em Resende, vai receber no dia de amanhã, 22 de fevereiro, o Campeonato Nacional de Boccia Sénior – Zona Douro, a partir das 10h00.

As instituições que vão participar neste evento desportivo, que vai reunir mais de duzentos atletas da modalidade, são: Câmara Municipal de Resende, Associação de Roalde, Associação para a Infância e Terceira Idade de Ervedosa do Douro, Associação Centro de Dia de S. Pedro de Celeirós do Douro, Pesqueira Amiga, OBER – Obra de Bem Estar Rural de Baião, UF Amarante, Academia Sénior de Sabrosa e Universidade Vida Ativa.

João Pereira
joaopereira@noticiasderesende.com
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
Foi durante um Roteiro Turístico, que passou pelo Balneário Rainha D. Amélia nas Termas, pela aldeia de Covas do Monte e pela Escola Profissional de Carvalhais, que o Vice-Presidente do Município, Pedro Mouro, a Vereadora Teresa Sobrinho e o Presidente da Termalistur, Victor Leal, apresentaram a Agenda de Eventos de S. Pedro do Sul para o ano de 2017.
           
Mais de 100 eventos numa programação variada para todas as idades e em todas as áreas, desde a gastronomia à cultura passando pelo desporto, com o objetivo de fomentar a divulgação do concelho, aumentando a oferta de atividades e de experiências.
           
Na gastronomia, e no âmbito da atribuição do prémio “Terra da Culinária” a S. Pedro do Sul, serão desenvolvidas diversas ações com ligação à gastronomia típica. A presença de Chefs de renome nacional na Feira da Vitela em Manhouce, um concurso de Culinária nas Festas da Cidade, um rodízio de feijoadas no Festival do Feijão e ainda a confeção de receitas da Carta Gastronómica de Lafões nos restaurantes do concelho e nas cantinas escolares.
           
Na cultura o destaque vai para a programação mensal no Cineteatro Jaime Gralheiro com peças de teatro, concertos e stand up comedy com o espetáculo de Fernando Rocha em julho.
           
No desporto, para além da programação anual de percursos pedestres, destaque para uma nova edição dos “Jogos Sem Fronteiras” e dos “Jogos Desportivos 3G” e a realização em S. Pedro do Sul do 8.º Torneio Internacional de Futsal da TAP e de mais uma edição do “Portugal MTB” com participantes de todo o mundo.
           
Consulte a Agenda de Eventos em https://issuu.com/termassps/docs/agenda_2017
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
Celorico de Basto prepara-se para receber a “Grandiosa” Festa Internacional das Camélias

Dia 23, pelas 17h00, Celorico de Basto apresenta na Dolmen em Amarante, a XIV Festa Internacional das Camélias.

A XIV edição da Festa Internacional das Camélias pretende valorizar a planta que “povoa” os jardins do concelho de Celorico de Basto. De 1 a 31 de março decorrerão atividades desportivas e culturais direcionadas a uma planta cuja Festa se celebra oficialmente nos dias 17, 18 e 19 de março.

“Será um mês repleto de atividades culturais e desportivas promovidas, principalmente, para dar destaque a este património natural que tanto nos enobrece, a Camélia” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva. “Este ano reforçamos a nossa aposta na valorização deste certame com uma envolvência ainda maior da população, e acreditamos que será um mês de excelência e que irá alavancar este território no setor do turismo. De facto, Celorico de Basto tem vindo a ganhar uma notoriedade crescente em vários setores mas o turismo tem sido aposta ganha com as múltiplas ofertas desde turismo de habitação e turismo rural, hotelaria, programas de aventura, de animação, espaços de lazer e de cultura, a valorização de locais emblemáticos e muito mais. Continuamos a trabalhar no sentido de tornar este concelho um local de visita obrigatória para muitos turistas priorizando sempre, o bem-estar da população local” ressalvou o autarca.

De facto, durante o mês de março várias atividades terão lugar em Celorico de Basto sendo destaque o fim-de-semana de 17, 18 e 19 que contempla a preparação e colocação das mesas, murais, espantalhos, mercado de camélias, exposição de derivados de camélias, exposição de produtos gastronómicos, o desfile de moda para eleger a rainha e a princesa das camélias, o desfile temático das camélias pelas ruas da vila Celorico de Basto, o programa da TVI “Somos Portugal”, atividades desportivas como o III Raid das Camélias, a caminhada das camélias, a exposição da Camélia de José Rodrigues e muito mais.

Logo no dia 1 de março será apresentado oficialmente o cartaz do mês das camélias que contempla uma homenagem a José Rodrigues escultor da Estátua do Cardeal D. António Ribeiro. É destaque no dia 4 o rally – paper e o concerto dos Basfados, no dia 10 a peça de teatro “Ibéria” pela companhia de teatro “Peripécia”, no dia 11 ao longo do dia irá decorrer o II Passeio TDT e à noite o concerto da Tuna Elétrica da Timpeira. No dia 24 decorrerá a apresentação de um espetáculo musical e no dia 25, mais uma grande iniciativa deste mês das camélias com o “grandioso” Baile das camélias com música ao vivo e Dj´s. No dia 26 voltamos ao desporto com o VI passeio BTT Rotas de Basto. E no dia 31 encerra o mês das camélias com uma conferência intitulada “Camélias – Património e Potencial”.

Às terças e quintas-feiras de março decorrerão oficinas direcionadas a várias áreas sempre com a camélia como interveniente principal. Paralelamente a todas as atividades mencionadas é importante referir que os visitantes poderão usufruir de visitas guiadas aos jardins de camélias, aos fins-de-semana e mediante inscrição, haverá durante todo o mês decoração de ruas, montras, varandas e floridos de camélias, exposições permanentes na biblioteca municipal nomeadamente “Celebração” de José Rodrigues em colaboração com a pintora Raquel Rocha.

Muitas e variadas atividades decorrerão em Celorico de Basto durante o mês de março no âmbito da XIV Festa Internacional das Camélias.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
O “Portugal Sou Eu” vai regressar ao Porto para marcar presença, pela segunda vez consecutiva, na 14ª edição da Essência do Vinho - Porto, que se realiza de 23 a 26 de fevereiro, no Palácio da Bolsa.
À semelhança da edição anterior, o espaço “Portugal Sou Eu”, que ficará localizado no piso térreo, está preparado para receber os muitos visitantes nacionais e estrangeiros que vão poder provar os vinhos com o Selo “Portugal Sou Eu” e conhecer serviços e produtos relacionados com o tema do vinho de 13 Empresas Aderentes.

A Essência do Vinho apresentará em prova livre mais de 3.000 vinhos de 350 produtores nacionais e internacionais. O programa inclui provas comentadas  por especialistas, harmonizações enogastronómicas e uma das mais significativas provas anuais de vinhos portugueses, “TOP 10 Vinhos Portugueses”.

No âmbito do protocolo assinado em 2015 entre o “Portugal Sou Eu” e o Instituto da Vinha e do Vinho (com a definição das regras de adesão e acesso direto dos produtos do setor vitivinícola, qualificados com a marca “Vinhos de Portugal/Wines of Portugal”, ao Selo “Portugal Sou Eu”), já aderiram ao programa 67 empresas produtoras ou engarrafadoras de vinho, que representam 465 referências de vinho entre DO - Denominação de Origem (329 referências) e IG - Indicação Geográfica (136 referências).

Horários Essência do Vinho 2017:
23 Fevereiro— 15:00 - 20:00
24 e 25 Fevereiro — 15:00 - 21:00
26 Fevereiro — 15:00 - 20:00

Espaço “Portugal Sou Eu” - Essência do Vinho 2017

Empresas
Região
Bulhosas (Irmãos), S.A.
Porto
Head Rock Wines
Vila Real
Herdade dos Templários
Leiria
Lados Virados, Lda
Bragança
Monte das Serras
Évora
PrecisionElite Lda
Porto
Quinta D/ Rangel - Empreendimentos Agro-Turísticos Lda
Lisboa
Quinta da Terrincha, Sociedade Agrícola S.A.
Bragança
Quinta de Montouro Lda
Porto
Quinta do Lubazim Lda
Bragança
Sociedade Agrícola Quinta das Corriças
Vila Real
Thyro Wines - João Teixeira Lopes
Bragança
Vercoope - União das Adegas Cooperativas da Região dos Vinhos Verdes, UCRL
Porto
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , , , | Com 0 comentários
No período de Carnaval, a CP – Comboios de Portugal vai promover, nos serviços Urbanos de Lisboa e Porto, um conjunto de propostas que facilitam o acesso do público aos principais festejos carnavalescos. As propostas são as seguintes:

Na região de Lisboa, os clientes que, na terça-feira de Carnaval, utilizem os comboios das linhas de Cascais, Sintra/Azambuja e Sado, podem comprar a sua viagem de ida e volta, pelo preço especial de dois euros, sendo o bilhete válido até ao último comboio.

No norte do país, a 26 e 28 de fevereiro, para as deslocações aos corsos de Ovar, Estarreja e Vila Nova de Famalicão, os clientes da CP, além da promoção de dois euros (ida e volta), terão ainda reforço dos lugares disponíveis nos comboios regulares.

Durante a noite de 27 e madrugada de 28 de fevereiro, para dar resposta à previsível afluência de pessoas, às tradicionais festas da “Noite Mágica” em Ovar e “Noite de Carnaval” em Famalicão, vão circular comboios especiais, nas Linhas de Aveiro e Braga, nas faixas horárias que registam habitualmente maior procura nestas datas.

Para estes comboios está disponível o bilhete especial de dois euros (ida e volta), válido em todos os comboios da rede urbana do Porto que se destinem às estações de Ovar, Estarreja ou Vila Nova de Famalicão, e que pode ser adquirido entre 22 e 26 de fevereiro.

Informações mais detalhadas em cp.pt ou através do telefone 707 210 220.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
A AEP - Associação Empresarial de Portugal em parceria com a  Católica Business lançam um Mini-programa Executivo - ”Operar no Mercado dos USA”, com o objetivo de capacitar Gestores e Empresários para o Projeto “NEXT CHALLENGE USA”. O Miniprograma tem início no próximo dia 7 de março e tem uma duração de 50 horas.

O programa arranca com um seminário de dois dias focado no planeamento estratégico “Strategies and Planning to Enter the US Market”. Orientado por Julie Petterson, e Edward Tashjian, Consultores seniors de trade policy e Mr. Arlen Gould, Vice-presidente executivo- Sodastream USA.

A segunda parte da formação é direcionada por área de interesse segmentada a distintos profissionais, com vários Workshops do Setor Agroalimentar e Setor Casa & Decoração sob os temas “Coaching into the american Market" e “Export Processes & Procedures".

Projeto Next Challenge: USA – As oportunidade do TTIP para Empresas portuguesas, tem como objetivo ir ao encontro das oportunidades que se abrem nos Estados Unidos da América no futuro próximo, apoiando as PME´s portuguesas em novas abordagens comerciais e promovendo a capacitação e o conhecimento prático do mercado local. Os EUA, enquanto Mercado desenvolvido, de grande dimensão, aberto e competitivo, perspetiva inúmeras oportunidades para as PME´s portuguesas exportadoras de Bens e Produtos, sendo o Next Challenge USA uma forma de as ajudar a se posicionarem comercialmente e a construírem novos caminhos como fornecedoras da nova Economia Americana.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
O Município de Castro Daire celebrou a 8ª edição do Dia do Autarca.

A cerimónia solene deste Dia do Autarca decorreu no passado domingo, dia 19 de Fevereiro 2017, tendo este ano distinguido 6 autarcas do Concelho, a saber: Delfim Rocha, antigo Presidente da Junta de Freguesia de Mamouros, Armando Monteiro, antigo Tesoureiro da Junta de Freguesia de  Mões e membro da Assembleia da mesma Freguesia, Bernardo Silva, Antigo Presidente da Junta de Freguesia de Parada de Ester, Amadeu Andrade, Antigo Presidente e Membro da Assembleia de Freguesia de Castro Daire, JoãoVentura, antigo Presidente da Junta de Freguesia de Picão e José Gonçalves, Presidente da Junta de Freguesia de Cabril.

Esta cerimónia, foi Presidida pelo Exmo. Sr. Secretario de Estado das Autarquias Locais, Dr. Carlos Miguel, que juntamente com o muito Público que encheu por completo o auditório do Centro Municipal de Cultura de Castro Daire, assistiram ao reconhecimento do trabalho meritório que os autarcas castrenses têm tido no desenvolvimento do concelho e na melhoria das condições de vida da população.

No uso da palavra o Senhor Presidente da Câmara Municipal de Castro Daire, Fernando Carneiro, destacou que esta homenagem aos autarcas distinguidos representava não só um reconhecimento aos homenageados mas também um tributo aos autarcas do passado e do presente, sendo para estes últimos um forte incentivo para continuar o trabalho importantíssimo que estes têm no desenvolvimento do concelho de Castro Daire.

Sua Exa. o Secretário de Estado das Autarquias Locais, Dr. Carlos Miguel agradeceu a hospitalidade Castrense, evidenciando o modo como foi acolhido em Castro Daire, mostrando-se muito satisfeito por presidir a esta cerimónia que classificou como muito importante, dado o papel relevante que os autarcas tiveram no desenvolvimento do Portugal Democrático ao longo dos últimos 40 anos.

Sendo o Secretário de Estado um ex. Presidente de Câmara, afirmou conhecer bem a importância que as autarquias locais e os seus agentes tiveram e têm no desenvolvimento integrado e equilibrado do território, sendo da mais elementar justiça este reconhecimento público.

Dr Carlos Miguel realçou ainda o trabalho que o Governo está a preparar na descentralização, que na sua opinião vai dar mais autonomia às autarquias locais, elevando o seu papel, diploma este, que no seu entender, vai possibilitar um melhor aproveitamento de recursos e meios, significando uma mais valia essencialmente para as pessoas e para o país.

Os homenageados puderam assistir ao relato da sua história de Vida e do seu trabalho enquanto autarcas, por parte de alguém próximo, num testemunho emocionado e sentido, que sensibilizou não só os distinguidos e seus familiares mas também toda a plateia, que assinalou o momento com o calor humano transmitido pelos muitos aplausos com que brindaram todos os homenageados.

Este dia do Autarca do Concelho contou ainda com momentos culturais, com a autuação da Sociedade Filarmónica de Mões, do Rancho Folclórico das Termas Do Carvalhal e da Tuna dos 60 da Casa do Povo de Castro Daire.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , , | Com 0 comentários
Um estudo realizado pelo Observatório Permanente do Abandono e Promoção do Sucesso Escolar (OPAPSE) da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) concluiu que no ano letivo 2015/2016 a maior parte dos estudantes que abandonaram os estudos na UTAD frequentavam o 1º ano de licenciatura ou o mestrado integrado.

Para este estudo foram identificados 112 alunos desistentes no ano letivo 2015_2016, em que 72 aceitaram ser entrevistados sobre as razões que levaram ao abandono. O estudo apurou que 68% destes alunos, frequentavam o primeiro ano de licenciatura ou de mestrado integrado e os restantes 32% frequentavam os 2º, 3º e 4º anos.

“Os estudantes apontaram como motivos para a desistência razões de ordem económica e necessidade de encontrar um emprego. Já os estudantes que não se encontravam a trabalhar nem a estudar, referiram como principais motivos para a saída da universidade razões de ordem vocacional. Contudo, é importante referir que existe uma elevada percentagem de estudantes que tem intenção de regressar ao ensino superior, estando a UTAD nas suas opções de reingresso”, esclarece a pró-reitora, Ana Paula Silva.

Este estudo permitiu corroborar a ideia de que o 1º ano é um período problemático no percurso dos estudantes, tal como havia sido já demonstrado pelo estudo exploratório “Abandono Escolar na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro”, realizado para o ano letivo de 2013_2014, onde cerca de 81% dos estudantes que abandonaram a universidade naquele ano também frequentavam o 1º ano do 1º ciclo ou mestrado integrado.

A monitorização do aproveitamento escolar dos estudantes, principalmente ao nível do 1º ano, apresenta-se como um importante fator de sinalização de estudantes em risco de abandono, permitindo uma intervenção em tempo de útil que poderá impedir uma saída precoce do ensino superior.

“O abandono escolar e o insucesso escolar são hoje fenómenos bem presentes no contexto do ensino superior. O perfil estudante é cada vez mais heterogéneo a nível social, económico e cultural, o que traz alguns entraves na familiarização do estudante com a cultura vigente no ensino superior. As dificuldades começam logo no 1º ano de ingresso e podem colocar em risco o próprio percurso formativo do estudante, daí a importância da monotorização do percurso destes estudantes logo no ingresso para evitar uma saída precoce”, conclui Ana Paula Silva, também responsável pelo OPAPSE.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
Foi na passada reunião de Câmara que o Vereador do CDS acusou o Governo do Partido Socialista de esquecer Moimenta da Beira. Em causa está o facto de o programa “valorização de áreas industriais”, lançado pelo Governo, ter contemplado vários municípios do norte que através daquele programa vão poder melhorar ou construir novas rodovias. No distrito de Viseu apenas a ligação entre a zona industrial do Mundão e do Sátão foi contemplada.

Para Cristiano Coelho, não encontrando da parte do Sr. Presidente da Câmara qualquer justificação “com base em critérios específicos que expliquem a exclusão de Moimenta da Beira daquele programa, das duas, uma: ou o executivo não manifestou intenção de integrar aquele programa, ou então o Governo do PS entende que Moimenta da Beira não é uma prioridade”.

Admitindo que o Edil municipal tenha feito um esforço para que o concelho pudesse beneficiar da ligação da EN329, que vinda do Sátão parou em Vila Nova de Paiva há mais de uma década “e que permite uma ligação digna de Moimenta da Beira à capital de distrito”, diz o centrista, “está em causa a seriedade do Governo que não apresentou quais os critérios que estiveram por trás desta decisão”.

A escolha da ligação entre Mundão e Sátão, sem a apresentação de estudos de tráfego ou de volume de negócios que demonstrem claras diferenças para a ligação entre Vila Nova de Paiva e Moimenta da Beira, constitui para o membro da coligação PSD/CDS um “exercício de poder ao serviço de estratégicas autárquicas, já que no Sátão o actual Presidente não se candidata mais e o PS encontra neste anúncio uma forma de valorizar o seu candidato à Câmara”.

O programa do Governo que permite ligações rodoviárias é um programa de financiamento exclusivamente estatal, já que Portugal está limitado no investimento em rodovias por intermédio dos fundos comunitários, que contempla 12 itinerários (reabilitação e construção de novos troços).
Por Notícias de Resende | segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017 | Publicado em , | Com 0 comentários
A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Mesão Frio adquiriu uma nova ambulância de transporte múltiplo (A2), com maca e transporte para pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida. A viatura representa um investimento total de 35,669 €. Este montante adveio do valor angariado no cortejo de oferendas do ano transato, de 18.968,41 € e do capital próprio de 16.700,59 €, desta associação. A Delegação da Cruz Vermelha Portuguesa de Mesão Frio e a Junta de freguesia de Oliveira apadrinharam a viatura.

A cerimónia de benção aconteceu no dia 19 de fevereiro, pelas 12 horas, no Quartel da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Mesão Frio, tendo sido celebrada pelo pároco Luís Saavedra, na presença dos dirigentes da associação humanitária, do Comando, do Corpo Ativo de bombeiros, do presidente da Câmara Municipal, dos presidentes das Juntas de freguesia e de tantos outros representantes das entidades concelhias.

O Presidente da Câmara Municipal, Alberto Pereira, no uso da palavra, realçou o apoio e a ação da autarquia em prol dos soldados da paz. Referiu ainda que, com a implementação do regulamento «Bombeiro Valoriza Mais», os bombeiros desta Corporação terão benefícios sociais e fiscais, estimulando desta forma, o voluntariado: “Dentro das nossas possibilidades, iremos continuar a apostar no voluntariado e em concreto, nos nossos bombeiros de Mesão Frio. Ninguém se pode abstrair do apoio à Proteção Civil. Todos nós somos obrigados a contribuir para o bem-estar, não só dos nossos bombeiros, mas também, para que estes tenham melhores condições no terreno”.

Paulo Silva, Comandante dos Bombeiros Voluntários de Mesão Frio, destacou que o investimento feito ao longo dos anos em equipamentos tem sido fundamental para esta associação, mas que também é importante continuar a investir no voluntariado, apelando às entidades representadas, para que dêem o seu contributo nesta matéria. Agradeceu ainda, à Câmara Municipal que muito tem feito pelos bombeiros, nomeadamente, com a implementação do regulamento «Bombeiro Valoriza mais».
António Almeida, presidente da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Mesão Frio, deixou um especial agradecimento aos padrinhos da nova viatura de socorro, uma vez que foram as duas entidades que maior valor monetário angariaram no cortejo de oferendas de 2016. Agradeceu ainda, a todas as instituições, entidades, ao Corpo Ativo, à Câmara Municipal e à população em geral, todo o apoio concedido, sempre que solicitados.

A cerimónia terminou com um Porto de Honra no Salão Nobre da associação humanitária. A compra da nova viatura dos bombeiros de Mesão Frio é, uma vez mais, o resultado do trabalho prestimoso da corporação de bombeiros, das instituições e da comunidade em geral que em muito tem colaborado.

O Comando Territorial de Viseu, através do Núcleo de Investigação Criminal de Moimenta da Beira, detiveram nos dias 18 e 19 de fevereiro, sete homens com idades compreendidas entre os 19 e 45 anos, por tráfico de estupefacientes, em Moimenta da Beira e Sernancelhe.

Os indivíduos foram detidos no âmbito de uma operação de fiscalização num estabelecimento noturno, tendo sido apreendido:
•         242 doses de haxixe;
•         75 doses de anfetaminas (MDMA);
•         59 doses de cocaína;
•         15 doses de cannabis;
•         Dois selos LSD;
•         500 euros.

Foram também identificados 19 homens e mulheres por consumo de estupefacientes.

Os detidos vão ser presentes no Tribunal Judicial de Moimenta da Beira no decorrer do dia de hoje.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
Mais de uma centena e meia de especialistas e académicos da área das bibliotecas, sobretudo professores bibliotecários, estiveram reunidos nas II Jornadas da Rede de Bibliotecas de Lamego (RBL) que decorreram no Teatro Ribeiro Conceição com o objetivo de refletirem e partilharem ideias sobre os desafios que se colocam hoje em dia a estas instituições “face às diversas literacias”. O encontro também serviu para divulgar o trabalho colaborativo promovido pelas 14 bibliotecas existentes no concelho e que compõem a RBL. Formalizada em 2012, esta rede é constituída por diferentes realidades, mas que "confluem para o enriquecimento documental e para a criação de um projeto comum".

"A Biblioteca na Era Digit@l" foi o mote para a reflexão e discussão destas segundas jornadas que juntou muito público, para além de professores bibliotecários, docentes e bibliotecários municipais. Entre os oradores convidados, estiveram presentes em Lamego Francisco José Viegas, escritor e antigo secretário de Estado da Cultura, e Teresa Calçada, antiga comissária adjunta do Plano Nacional de Leitura.

No final do primeiro dia do encontro, também houve um jantar-convívio em que o prato forte foi o tema "Livros e Leituras". No dia seguinte, estas jornadas "abriram-se" ao grande público com a realização de 10 oficinas que abordaram uma grande diversidade de temáticas, nomeadamente a narração oral, a radionovela, a gastronomia, a escrita criativa e a construção de bibliotecas digitais, entre outras. Os jovens alunos do Grupo Coral da Escola Secundária Latino Coelho também tiveram uma participação ativa ao assegurarem os momentos culturais das jornadas.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , , | Com 0 comentários
A emissão especial de um dos maiores êxitos da televisão portuguesa – o programa "Preço Certo" - que será transmitido em direto a partir da cidade de Lamego, terá associada uma forte componente social. O popular apresentador Fernando Mendes visitou durante esta semana as instalações do Centro de Acolhimento Temporário (CAT), da Santa Casa da Misericórdia de Lamego, para conhecer o trabalho que diariamente aqui é desenvolvido em prol das crianças que são retiradas do seio familiar.

A transmitir pela RTP1, na noite de 12 de março, em horário nobre, logo a seguir ao "Telejornal", o alinhamento da emissão que vai comemorar o episódio 3000 do “Preço Certo” incluirá uma reportagem dedicada a esta instituição de solidariedade social que alberga em Lamego menores, até aos 12 anos de idade, cuja segurança, saúde, formação moral ou educação se encontrem em perigo. Conhecido pela sua boa disposição, os meninos receberam Fernando Mendes de braços abertos que prometeu, no final, regressar em breve para uma nova visita e apresentar uma grande surpresa.

O CAT de Lamego tem ao serviço uma equipa técnica multidisciplinar que efetua um acompanhamento individual junto de cada menino. A prioridade é definir um “Projeto de Vida” para cada um dos bebés e crianças de modo a que o período de permanência aqui seja o mais breve possível. Durante a sua estadia, a Misericórdia de Lamego proporciona os meios que contribuem para a sua valorização pessoal, escolar e social.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
O Comando Territorial de Viseu, através do Núcleo de Investigação Criminal de Lamego, detiveram em flagrante delito ontem, dia 19 de fevereiro, um homem e uma mulher de 23 anos, por três furtos em interior de veículo e tráfico de estupefacientes, em Resende.

Durante uma ação de patrulhamento, os militares viram duas pessoas a furtar os bens do interior de uma viatura, tendo-os intercetado de imediato. Após algumas diligências, conseguiram relacionar os suspeitos com mais dois furtos na zona. Os detidos tinham ainda droga em sua posse, tendo sido apreendido:
•         66 doses de haxixe;
•         Uma gazua;
•         Dois pares de luvas;
•         Vários cartões multibanco;
•         Um veículo.

Os detidos estão, neste momento, a ser presentes ao Tribunal Judicial de Lamego.

Esta operação contou com a colaboração dos militares do Posto Territorial de Resende e do Núcleo de Apoio Técnico.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , , , , | Com 0 comentários
O músico Filipe Pinto, vencedor do programa televisivo Ídolos em 2009 esteve em Cinfães, no dia 8 de fevereiro, para apresentar a crianças e jovens do 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico o projeto “O Planeta Limpo do Filipe Pinto” dedicado às questões ambientais.

Numa entrevista concedida a João Pereira, Filipe relembra o início da sua carreira no programa Ídolos, a passagem por Londres, mas também fala do regresso a Portugal e do percurso que tem tido no mundo da música desde aí. Licenciado em Engenharia Florestal pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Filipe explica a ligação com o meio ambiente, algo que está sempre presente na sua vida e também na música, como é o caso deste projeto musical infantojuvenil “O Planeta Limpo do Filipe Pinto”.


João Pereira –  O seu percurso na música acaba por conhecer o seu início no Programa Televisivo “Ídolos”. Em que medida o concurso foi importante na sua formação enquanto cantor, músico, compositor?

Filipe Pinto – Relativamente ao programa, ele deu-me uma opção, ele encostou-me à parede, foi isso que aconteceu: “ou basicamente dedicaste à música e segues este caminho ou então esquece a música e vai para engenharia florestal que é o curso que tu tiraste”. Isso fez-me pensar e decidir porque a música sempre fez parte de mim e eu sempre tive algum receio de correr esse risco. A verdade é que as coisas correram bem no programa, as pessoas acreditaram, muitos portugueses acreditaram e fizeram com que eu começasse a perceber um bocadinho do que é o backstage dos palcos. Não aprendi tudo no programa, mas o programa permitiu-me ver o outro lado das câmaras, perceber que o monstro que existia na minha cabeça dependia muito da minha personalidade e da forma como nós encaramos o nosso trabalho e a nossa vida. Sobretudo aprendi a lidar com as entrevistas, com os técnicos de som, com os apresentadores, com variadíssimas personalidades e entidades que estavam à volta do programa e isso enriqueceu-me. Depois a digressão que tivemos, a Idolomania, deu-me um lado mais profissional e só aí é que eu comecei a perceber que tinha de chegar a horas aos locais, que tinha que ensaiar previamente, que tinha de perceber mais da parte técnica, que tinha de ter uma forma de comunicar com os músicos, no fundo que tinha de ser mais profissional.


JP – Em setembro de 2010 vai para Londres estudar na London Music School, usufruir do prémio de vencedor da Edição dos Ídolos 2009. Que memórias tem dessa experiência?

FP – O curso foi importante como começo. Eu senti que a escola me recebeu de braços abertos. Inclusive, o primeiro encontro que tive com o meu diretor foi num pub, num bar e eu aproveitei logo para lhe dizer: “Martin, eu quero ter mais do que um curso aqui. Eu quero ter curso de guitarra, de piano e do que me puderes dar!” e ele respondeu: “Ok, Filipe!”. Isso fez-me logo sentir que podia absorver o máximo de informação possível naquela escola. Aos poucos e poucos, comecei a perceber que a escola estava num nível e direcionou-me para um nível [porque eu não tenho formação musical e tudo o que aprendi e aprendo neste momento é autodidatismo e por via desse curso que tive, e eu tenho noção que não estou nos 100% das minhas capacidades, há muita coisa que desconheço no mundo da música, a linguagem musical para mim ainda continua a ser uma descoberta] que permitiu-me ter as bases para começar a estudar e a dedicar-me mais à música.


JP – Regressou a Portugal e logo para promover o Festival Super Rock Super Bock pelo país, em junho de 2011, num projeto denominado “Band in a Van”. Sentiu que era um reconhecimento do trabalho que já tinha vindo a desenvolver?

FP – Senti que foi uma oportunidade que devia aproveitar. Começava a sentir [e quando estava em Londres esse foi o meu mote para voltar para Portugal] muito trabalho aqui em Portugal que estava a perder e por outro lado também tinha o disco quase pronto. Eu depois da London Music School fui para outra escola, a Merlin College, estive lá alguns meses e também foi uma escola muito específica: basicamente selecionei alguns cursos que queria fazer para aprofundar um bocadinho mais os meus conhecimentos, mas houve uma altura em que comecei a sentir que estava há tempo demasiado em Londres. Esse foi um dos grandes motes para regressar, além do disco, naturalmente. A digressão Band in a Van foi muito interessante porque foi tudo feito numa carrinha em que nós aparecíamos sem aviso prévio em cidades de Norte a Sul e começávamos a tocar canções de bandas conceituadas que iriam ao festival nesse ano e paralelamente a isso pude apresentar temas originais e, portanto, tinha uma comunicação com o público muito próxima, não havia palcos, era tudo na rua e para mim foi uma grande aventura que gostei muito.



JP – No mesmo ano, subiu ao palco de um dos maiores festivais de música do país e da europa, o Sudoeste na Zambujeira do mar. O que é que sentiu quando sabia que ia atuar para milhares de pessoas?

FP – Subir ao palco do Festival Sudoeste foi muito importante para mim, ainda estava muito “verdinho”, é certo. Há filmagens que eu agora revejo e ainda estava muito “verdinho” mais foi uma oportunidade de poder mostrar canções originais, fazer uma interpretação de canções ao vivo e pisar grandes palcos é sempre uma boa sensação.


JP – Acaba por regressar à televisão, à SIC para apresentar o primeiro tema da sua autoria “Crua Carne” que viria a fazer parte do seu primeiro álbum, “Cerne”, lançado em 2012. Como descreve esse seu primeiro trabalho discográfico?

FP – Em três etapas: antes, durante e depois do programa Ídolos. Antes porque tem uma canção ou duas que foram feitas antes de eu sequer pensar que ia para um concurso de televisão, o durante foi o processo todo que fez parte do disco e daquela interação com os concorrentes, com as pessoas, com a exposição mediática e o depois, o lado mais solitário que eu tive em Londres. “Cerne” é um disco que reflete um bocadinho os meus três estados de vivência dessa fase da minha vida.


JP – Em 2013 competiu com Mónica Ferraz, Os Azeitonas, Richie Campbell e The Fift no MTV Europe Music Award para Melhor Artista Português que acabou por vencer. Que significado teve para si a conquista deste prémio?

FP – Devo dizer que quando recebi a notícia estava na Rua de Cedofeita que é uma rua muito movimentada no Porto, estava muita gente e dei lá um grande berro! Fiquei muito feliz, naturalmente, por que estavam artistas nomeados que estão há mais anos que eu cá e nós devemos ter respeito por quem trabalha há mais anos e por artistas que no fundo fazem diferentes trabalhos do nosso e nessa altura fiquei muito feliz por representar Portugal em Amesterdão e é um prémio que eu guardo com muito carinho, foi o reconhecimento de um trabalho desenvolvido logo no primeiro disco que foi um processo que correu bem e que não podia terminar de melhor forma.


JP – Na biografia disponível no seu site é descrito como alguém que “procurou sempre um refúgio na música e uma ligação com o meio ambiente” e por isso mesmo, em dezembro de 2013 é editado o seu segundo álbum, de cariz ambiental e educativo que hoje veio também aqui apresentar ao Auditório de Cinfães – “O Planeta Limpo de Filipe Pinto” que se baseia num CD/DVD e também num livro e jogo. Pedia que nos falasse um pouco desta sua ligação com o ambiente e também deste projeto musical.

FP – Este projeto é muito simples: é tentar passar uma mensagem de que a pedagogia ambiental pode ser interativa, pode ser musical, pode ser didática e conjuntamente com a empresa Betweien desenvolvemos este projeto que consiste num livro, num jogo, num CD/DVD que remete para as questões ambientais. A poupança da água, a questão das florestas, a reciclagem, os solos, tudo isso é muito importante transmitir aos mais novos e esse foi um lema que na altura sentia com muita garra. Hoje continuo a sentir, mas sinto que as crianças já têm muita sensibilidade para estas questões mas falta reforçar esta ideia da poupança da água por que a temática da reciclagem já é um tópico muito referenciado, já sentimos que as crianças diferem bem a separação do lixo mas com as crianças tudo acontece: num momento sabem tudo, noutro momento esquecem e passam para outra. E por isso, nós temos que estar sistematicamente à frente das crianças e a projetar estes conteúdos para que não se esqueçam em idades futuras.


JP – É indissociável ligarmos a música ao seu curso superior em Engenharia Florestal. Olhou sempre para os estudos como algo que gostaria de fazer ou como uma segunda opção no caso de a música não correr bem?

FP – É assim, eu “calhei” em Engenharia Florestal em quinta opção, portanto, não era propriamente a minha primeira opção. A minha primeira opção sempre foi audiovisuais e tudo o que fosse ligado à música mas felizmente que entrei num curso que me apaixonei desde o início. Foi um curso muito prático que eu tirei em Vila Real na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) na qual os professores como tinham poucos alunos eles tratavam-nos como filhos e esse fez-nos sentir tão bem que as nossas aulas eram sempre muito práticas, no campo, a perceber as dinâmicas dos ecossistemas. Era tudo tão prático e tão interessante que me fez apaixonar. Eu vi sempre o curso como um aliado e este projeto é a prova disso, vi sempre o curso como uma mais valia, um conhecimento que pode ser canalizado para aquilo que é o meu trabalho que é a música e por isso, acho que vai estar sempre aliado. Já no “Cerne” tive essa preocupação porque esse disco é feito em material 100% reciclável e sempre que eu puder vai sempre haver qualquer coisa que vai ter uma mensagem ambiental.


JP – Sei que tem percorrido muitas escolas pelo nosso país e contatado com muitas crianças e jovens. Qual é a marca que pensa que tem deixado ou que pelo menos gostava de deixar a quem o vem ouvir?

FP – Eu acho que o que poderemos deixar aos meninos, além da parte física do CD/DVD, é a mensagem e da importância do ambiente e da sensibilidade que os meninos devem ter para as questões ambientais. Vivemos num Planeta cada vez mais desigual, não se percebe como é que no Século XXI ainda há pessoas que morrem com sede, que têm dificuldade em aceder a zonas mais limpas, que têm tanta poluição no ar que têm que usar máscaras, que vivem em autênticas lixeiras, portanto, vivemos num mundo que é muito desigual, que é muito desumano, às vezes. É preciso saber respeitar todos os seres vivos porque faz sentido todos eles existirem. Eu não estou a dizer que sou 100% correto e faço tudo direitinho porque também tenho os meus erros, cometo as minhas falhas, mas o importante nisto tudo é a consciência, é no final do dia sabermos aquilo que fizemos de errado ou não. Se nos esquecermos, pelo menos quando voltarmos a fazer termos a consciência que estamos a proceder errado. Isso é o mais importante, nem é tanto passar a ideia de que o mundo vai agora transformar-se numa coisa maravilhosa, não. É perceber quais são os problemas e perceber também que cada um de nós tem que fazer o seu papel. Nós falamos muito da reciclagem, mas a reciclagem não é os ecopontos, não é dizer às crianças “meninos separem o lixo”, a reciclagem é a transformação do lixo que vai para os ecopontos em material novo e de facto, nós temos que passar essa mensagem aos miúdos, que nós temos que reduzir a quantidade de lixo. Nós vemos “garrafinhas”, “garrafotes”, sei lá… o ser humano está com uma capacidade de criar e inventar materiais acessórios que é tão difícil o Planeta suportar isso num espaço a que chamam aterro ou nas lixeiras que existem e nós começamos a ver esses sintomas sobretudo nos oceanos. Os oceanos e as praias são autênticos depósitos de lixo, infelizmente. Vemos o plástico como um material cada vez mais usado, o Homem está a exagerar na quantidade de plástico que produz, e o plástico é algo que é muito difícil, quando ele é degradado, de identificar. Nós dificilmente conseguimos distinguir um grão de areia de plástico quando ele é deformado e por isso, isso mexe muito comigo e com as pessoas que são sensíveis a isto porque estamos a tornar o Planeta um sítio complicado para vivermos. No fundo, estas mensagens são muito importantes e o lema deste projeto é no fundo esse: através de uma simplicidade de canções, de mensagens, de teatro e de ilustrações dar-lhes [às crianças] um bocadinho desta sensibilidade.


JP – Em 2016, “O Planeta Limpo de Filipe Pinto” atinge os 18 000 livros vendidos, chegando à 7ª Edição. Esse é um sinal da aceitação do público?
FP – É um sinal muito positivo. O projeto está a ter esta longevidade muito por culpa das pessoas e das crianças que gostam, que dão os seus sorrisos e dos professores que também têm tido um papel fundamental na divulgação do projeto nas instituições, nas autarquias. Este projeto é muito institucional e às vezes perguntam-me porque é que não ouvem este projeto nas rádios ou nas televisões e eu acho que isso tem a ver com momentos: o projeto teve uma fase mediática, de exposição, mas as coisas agora são tão acessíveis na internet e a partir daí o passa palavra funciona tão bem que acabamos por conseguir chegar a mais e a mais crianças.



JP – “E tudo gira” é o seu terceiro álbum, lançado no ano passado e editado pela Sony Music. É um disco diferente d’ “O Planeta do Filipe Pinto”, mais de encontro ao primeiro ao álbum ou nem um nem outro?

FP – O Planeta Limpo é um projeto distinto, não o posso enquadrar como um terceiro disco. Eu, Filipe Pinto, como autor tento escrever canções para todos, não especifico um setor ou um público e, portanto, este disco “E tudo gira” é o meu segundo disco, pode-se dizer assim. É um disco que dá continuidade ao “Cerne”, é mais alegre e a sensação que eu tive nele era de que seria um disco sorridente, que conseguisse transmitir essa mensagem do sorriso e de força, de que as coisas muitas vezes correm mal mas nós temos que superá-las e não partir só para as palavras, partir para a ação que é o mais difícil e as canções remetem para essa ideia. Participaram muitos músicos neste disco, eu quis que fosse um disco que tivesse mais de trinta músicos, no fundo para ter uma maior abrangência de diferentes rasgos musicais. Espero continuar a promover este CD, a mostra-lo às pessoas, vou fazê-lo, tenho a certeza. Estou agora a promover o meu terceiro single, e em princípio vou agora fazer um novo videoclipe para ele e espero que este começo de ano seja favorável para um disco que a mensagem é “E tudo gira”: a nossa vida está sempre a girar, há ciclos altos, há ciclos baixos. Até o Planeta gira, tudo gira e essa é a mensagem que eu queria transmitir ao disco e nos espetáculos ao vivo, às vezes sou um bocadinho “fala-barato” de mais, mas esse lado meu sempre foi muito evidente, não no programa [Ídolos], mas quando contato com as pessoas e esse é um lado que eu quero transmitir nos concertos, de conversa, de família, de sala de ensaio quase.


JP – Qual a importância para si de dar concertos, estar em palco, de sentir o público? É o mais importante na vida de um músico ou prefere a parte mais intimista de compositor ou até de estar em estúdio a gravar?

FP – Eu gosto das duas porque ambas são componentes do meu trabalho. Eu gosto da parte em que estou em estúdio ou que estou a compor, gosto muito da sensação de ir a estúdio, de trabalhar ideias, de estar com o produtor e vermos a música, trabalharmos a letra, que tenho feito, confesso, de uma forma muito solitária e agora estou a tentar abrir esse espectro, alargar o meu horizonte e na parte de criação e de composição ser um bocadinho mais aberto nessa frescura de outras ideias porque o que eu tenho feito normalmente é compor as canções e depois pedir os arranjos a vários músicos para a música ficar grandiosa e composta. A sensação de estar em estúdio é muito boa, mas também o palco é ótimo. Nós tivemos uma digressão no ano passado que também foi maravilhoso porque nós estivemos em diferentes coretos do país com o apoio da SIC, da Visão e da Delta Q. Nós temos coretos lindíssimos que muitas vezes são esquecidos e foi uma oportunidade para eu estar com as pessoas, cantar os temas originais, lá está, esse palco que é quase rua, esse palco que é quase não haver estrados é o melhor palco para mim, é o que eu mais gosto. A sensação de energia do público quando a recebes é fundamental para que sintas o teu trabalho reconhecido.


JP – Falou há pouco do terceiro single que vai agora promover, para além disso há algum projeto novo para breve?

FP – Sim, estou a tentar fazer um projeto ligado a teatro musical, mas que ainda está um na gaveta porque tenho que dar agora prioridade ao terceiro single e ao Planeta Limpo. Tenho também alguns concertos que estão a ser agendados que tenho que preparar e por isso, agora estou-me a focar também nessa vertente quase de interprete, de compositor, de entrevistado, portanto, é tudo um pouco, mas isso faz parte do meu quotidiano e tenho-me habituado assim.


JP – Está a fazer aquilo que um dia imaginou que ia estar a fazer? Que balanço é que faz da sua carreira até agora? 

FP – Não imaginei. Tudo o que nós imaginamos, é fruto da nossa imaginação, vai sair sempre um bocadinho diferente, mas o que eu disse desde o inicio é que estou muito feliz pelo trajeto que tenho feito. Há muitas pessoas que me dizem “agora já não apareces na televisão” e eu tento explicar “eu não sou apresentador de televisão, eu sou músico. Vocês se calhar ouvem as minhas canções nas novelas, mas eu não estou lá” e a verdade é essa: eu tento ao máximo dedicar-me a uma profissão que é sazonal, mas que vivo neste momento, desde o programa [Ídolos], ligado à música e espero continuar. No momento em que isso não acontecer, em que eu sentir que não tenho capacidades para continuar ou que começo a sentir mais tristeza do que alegria é o momento de mudar e de girar. Isso faz parte da nossa vida, termos a consciência de que a vida não está estagnada, nós não vamos fazer uma coisa para sempre. Há muitas coisas que eu gostava de fazer na vida e espero ter oportunidade de as fazer, por isso, vamos ver.


JP – Obrigado Filipe!

FP – Obrigado eu!

Por Notícias de Resende | sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 | Publicado em , , , | Com 0 comentários
A Câmara Municipal do Marco de Canaveses promoveu a 10.ª edição do Concurso de Expressão Plástica Carmen Miranda, em homenagem a esta ilustre figura do panorama cinematográfico e musical, nascida neste Concelho, a 9 de Fevereiro de 1909.

Esta iniciativa tem como objetivo estimular a atividade cultural e artística da comunidade escolar, proporcionando a apresentação pública dos seus trabalhos e aumentar o acervo do Museu Municipal alusivo a Carmen Miranda.

À presente edição foram apresentados 29 trabalhos.

De acordo com o Regulamento, o Júri de Premiação decidiu atribuir os prémios 800€, em material pedagógico – distribuídos pelos diversos escalões, da seguinte forma:

ESCALÃO 1
Jardim-de-infância

1.º - Trabalho n.º 16
Autoras: Inês Filipa Silva Gomes e Carolina da Fonseca Monteiro
Jardim de Infância de Peso – Santo Isidoro
2.º – Trabalho n.º 15
Autores: Sala 3
Jardim-de-Infância dos Murteirados – Marco
3.º - Trabalho n.º 14
Autores: Sala 2
Jardim-de-Infância dos Murteirados – Marco

ESCALÃO 2
1.º Ciclo
1.º - Trabalho n.º 28
Autora: Ana Carolina Baldaia Soares
EB1 Esperança
2.º - Trabalho n.º 18
Autores: Turma E2
EB1 Esperança
3.º - Trabalho n.º 27
Autores: Turma E3
EB1 Esperança


ESCALÃO 3
2.º e 3.º Ciclos

1.º - Trabalho n.º 7
Autores: 9ºB
EB,2,3 de Toutosa
2.º - Trabalho n.º11
Autora: Beatriz Gomes dos Santos
EB,2,3 de Toutosa
3.º - Trabalho n.º 12
Autor: Afonso Gomes dos Santos
EB,2,3 de Toutosa

ESCALÃO 4
Escolas Secundárias e/ou Profissionais

1.º - Trabalho n.º 26
Autores: 10ºTM2016
Escola Secundária do Marco de Canaveses
2.º - Trabalho n.º17
Autores: 10ºG
Escola Secundária do Marco de Canaveses
3.º - Trabalho n.º 29
Autores: 10ºTM2016
Escola Secundária do Marco de Canaveses

A entrega de prémios e certificados de participação decorrerá no dia 3 de Março (sexta-feira), pelas 11h00, no Espaço Arte – Museu Municipal Carmen Miranda.

De acordo com o estipulado em regulamento, os trabalhos premiados passam a integrar o espólio do Museu Municipal Carmen Miranda.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
O NORTE 2020 lançou um novo concurso para apoiar os municípios da região na reabilitação de bairros sociais, através da afetação de 30 milhões de Euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional no financiamento de medidas de eficiência energética e racionalização de consumos.

O concurso prevê o apoio a medidas de eficiência que resultem em ganhos financeiros, de que são exemplo intervenções na envolvente dos edifícios, na instalação de sistemas e equipamentos de gestão de consumos de energia, de painéis solares térmicos e de sistemas de produção de energia para autoconsumo a partir de fontes de energia renovável.

Com este apoio, que se enquadra no objetivo da transição para uma economia de baixo teor de carbono, o NORTE 2020 prevê que a aplicação dos fundos da União Europeia melhore a qualidade de vida e assegure um consumo de energia melhorado em cerca de 2.400 famílias da Região do Norte, chegando a mais de 7.000 pessoas.

Saiba mais em www.norte2020.pt.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , , | Com 0 comentários
São formações que vão durar nove meses nas áreas da interpretação e em técnicas de luz e som, previstas para terem início já durante o próximo mês de março, na Galeria Luís Veiga Leitão, que ocupa o piso superior do edifício do Auditório Municipal Padre Bento da Guia, em Moimenta da Beira. As inscrições estão abertas e os horários serão feitos e acertados à medida dos formandos. Há cursos para crianças dos 6 aos 13 anos, e para jovens e adultos a partir dos 14 anos de idade. Mais informações pelos contactos telefónicos 938 525 725 ou 934 011 221.

A iniciativa é da “Karisminovador ”, uma associação sediada em Ariz, e a formação estará a cargo de Luís Alexandre, encenador e ator profissional há mais de década e meia, que já fez parte de elencos da Companhia Nacional de Teatro; já participou em cinema, designadamente no elenco do filme de João Mário Grilo “A Falha”; e entrou também em várias produções televisivas nacionais como “Morangos Com Açúcar“; “Baía das Mulheres”; "O Último Beijo"; “Estação da minha vida”; “Ganância”; “Anjo selvagem”; e “Super Pai”.