[ ]
Notícias de Última Hora
Por Notícias de Resende | sábado, 18 de janeiro de 2014 | Publicado em , , | Com 0 comentários
Um grupo de 10 alunos do Agrupamento de Escolas de Vale de Ovil, de Baião, vai viver, na próxima semana, uma nova experiência, ao participar num intercâmbio internacional com colegas de 8 países europeus, em Espanha, no âmbito do projeto “More Trees? Yes, Please!”.

A viagem de avião já está marcada para o próximo dia 20 de janeiro e terá saída do Aeroporto Sá Carneiro rumo a Madrid.

Daí o grupo segue para a localidade de Lominchar (Toledo), onde tem à sua espera uma semana intensa de atividades relacionadas com a ecologia e a proteção da natureza, mas também com as novas tecnologias da informação e da comunicação.

No decurso desta semana os jovens baionenses irão contactar com colegas de países tão distintos como a Polónia, Turquia, Espanha, Estónia, República Checa, Bulgária, Croácia e Roménia.

Este projeto é financiado ao abrigo programa comunitário Comenius da União Europeia.

Para além da sensibilização para as temáticas da ecologia, pretende-se que os jovens adquiram, no decurso do projeto, uma maior sensibilidade e à vontade relativamente a temáticas vitais nos dias que correm como o uso seguro da internet, das redes sociais e da proteção de dados pessoais.

A participação do Agrupamento de Escolas de Vale de Ovil nesta iniciativa tem o apoio institucional e logístico da Câmara Municipal de Baião.

Página do projeto: http://www.sp21.lublin.pl/nowa/comenius/com_2012/index.html
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
Os 19 municípios da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Douro, a qual inclui o Município de Mesão Frio, assinaram em Vila Real, no dia 15 de janeiro, um contrato de fornecimento de energia com a EDP Comercial, que vai permitir a poupança global de 665 mil euros por ano, na fatura de eletricidade. O contrato representa a passagem para o mercado livre de eletricidade e agrupa, pela primeira vez, a totalidade dos pontos de consumo em média tensão, baixa tensão especial e baixa tensão normal, incluindo iluminação pública. A EDP Comercial ganhou o concurso que foi desenvolvido juntamente com a Agência de Energia Local.

Após a assinatura do contrato, o presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio, Alberto Pereira, salientou que o acordo “representa uma poupança global e local significativa e obviamente, benéfica para a gestão financeira da Autarquia.”

O presidente da CIM Douro, Francisco Lopes referiu que os 19 municípios e sete empresas municipais vão ter uma poupança direta anual de 665 mil euros na fatura de eletricidade, relativamente aos preços praticados em 2013. Mencionou ainda que, “se considerarmos os aumentos tarifários previstos ou já concretizados para 2014, a poupança será ainda maior”.

Foram colocados a concurso cerca de 60 milhões de quilowatts/ano, cerca de 3650 pontos de consumo, incluindo 1750 de iluminação pública e os municípios estão a optar, cada vez mais, por soluções de energia económicas nos grandes equipamentos municipais.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , , | Com 0 comentários
A formação teórica e prática dos Bombeiros é uma necessidade permanente. Ao longo da sua existência a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Mesão Frio tem efetuado um esforço para possuir os meios necessários técnicos e pedagógicos para preparar os seus recursos humanos para os desafios mais diversos com que se deparam na sua atuação.

Possuindo uma sala para a formação teórica há necessidade de equipá-la com um quadro interativo, o que proporcionará recursos pedagógicos mais fortalecidos e uma formação mais dinâmica. Com este equipamento, a sala de formação poderá também ser mais facilmente alugada a outras entidades o que poderá ser uma fonte esporádica de rendimento, mas de grande importância para a Associação que necessita de encontrar novas formas de financiamento para a sua atividade.

Para obter a verba necessária (2000 euros) a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Mesão Frio decidiu recorrer ao crowdfunding (consiste na obtenção de capital para iniciativas de interesse coletivo através da agregação de múltiplas fontes de financiamento, em geral pessoas interessadas na iniciativa).

Assim, na plataforma BES Crowdfunding (https://bescrowdfunding.ppl.pt/pt/prj/ahbvmesaofrio), é possível contribuir até ao dia 12 de Março para este projeto dos Bombeiros Voluntários de Mesão Frio. Cada contributo terá direito a uma recompensa que varia de acordo com o valor.
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
“Trip de Família”, ou “We’re the Millers” no original é o filme que passa no próximo dia 10 no auditório. E foi sobre ele que decidi falar. A sinopse do filme no site da ZON Lusomundo diz o seguinte: “David Burke (Sudeikis) é um pequeno traficante de droga, cuja clientela inclui chefs e mães de família, mas não crianças – afinal de contas, ele tem escrúpulos. Então o que pode correr mal? Muita coisa. Pelos motivos óbvios tenta manter-se discreto mas aprende da maneira mais difícil que nenhuma boa acção fica impune quando tenta ajudar alguns adolescentes e acaba por ser atacado por um trio de punks. Ao roubarem a sua droga e o seu dinheiro, deixam-no com uma grande dívida ao seu fornecedor, Brad (Ed Helms). De forma a dar a volta à situação, David tem agora de tornar-se num grande traficante e trazer uma mercadoria do México para Brad. Com a ajuda dos seus vizinhos, a stripper cínica Rose (Aniston), o potencial cliente Kenny (Will Poulter) e a adolescente com tatuagens e piercings Casey (Emma Roberts), David elabora um plano infalível. Uma esposa e dois filhos falsos e um enorme e skiny RV? Depois, os “Millers” seguem para o sul da fronteira para um fim-de-semana de 4 de Julho que certamente acabará mal.

Confesso que estava um pouco reticente em relação a este filme, não se ouviu falar muito dele e os actores não são de todo profissionais que me chamem a atenção. Depois claro está o facto de ser uma comédia americana. Quantas e quantas é que a indústria não consegue produzir todos os anos? São filmes atrás de filmes, mais do mesmo. Em qualidade cinematográfica penso que as comédias americanas não têm grande sorte, claro que há um ou outro que se destaca. Mas são tantas comédias que começa a desacreditar um pouco o público sobre a qualidade das mesmas. Sim, está visto que sou mais fã de cinema europeu mas isso é outra história. Posto isto, por estas e por outras vi o “Trip de Família” sem expectativas nenhumas. E por não as ter acabou por satisfazer. Não é nenhuma obra-prima e muito menos faz rir do princípio ao fim mas arranca umas boas gargalhadas. Sem tentar ser moralista consegue passar a mensagem que a família não precisa de ser de sangue, pode ser pessoas que escolhemos mesmo que sejam strippers ou vizinhos com quem raramente trocamos uma palavra. O melhor do filme é mesmo a família que os protagonistas conhecem na fronteira mexicana. Família essa que interpreta o papel tipicamente americana sempre simpática e disposta a ajudar mas que acaba por se tornar um pouco incómoda. Principalmente quando se descobre que ele é polícia na divisão dos narcotráficos. E os Miller têm a caravana cheia de droga. Posto isto vá até ao auditório, descontraia e aproveite o filme. Ah e se for do género masculino e fã da Jennifer Aniston não tire os olhos do ecrã quando ela fizer o seu número de strip.

Os outros filmes no auditório em Janeiro são:
17 de Janeiro- “Aviões” (Planes)
24 de Janeiro- “Ataque ao poder” (White House Down)
31 de Janeiro- “Miúdos e Graúdos 2” (Grown Ups 2)

Bons filmes e até Fevereiro,

Raquel Evangelina
Por Notícias de Resende | | Publicado em , | Com 0 comentários
Acácio Pinto
Deputado do PS
Ainda não estamos refeitos das últimas maldades que estão a ser levadas a cabo contra a escola pública – cheque ensino, estatuto do particular e cooperativo, por exemplo – e já uma outra bomba está na linha de montagem – redução da escolaridade obrigatória para nove anos.

E se todas estas medidas são de uma forte agressividade ideológica contra o sistema de educação pública e se posicionam numa linha dissonante do nosso texto constitucional e também numa pista inversa daquelas que são as políticas defendidas pelos organismos internacionais de que somos parceiros (UE, UNESCO, OCDE), permito-me destacar esta última “pérola”, trazida pelos jovens do CDS, como aquela que, simbolicamente, mais carga negativa encerra.

É que esta proposta, abominável, “parida” por uns jovens de linhagem elitista, aquilo que quer, verdadeiramente, é matar a igualdade de oportunidades e reproduzir, portanto, as desigualdades sociais.

É a velha teoria da criação de uma sociedade dual, de uma sociedade em que à nascença cada um (a maioria) fica, desde logo matriciado para a “ferrugem”, para ser “músculo” e outros (bem menos) estão destinados a ser “colarinho branco”, a ser “cérebro”.

Mas não tenhamos ilusões, esta é uma vaga de radicalização das políticas que surge por dentro do CDS, mas que creio não fará escola.

Ainda sou daqueles que entendem que o CDS – sendo um partido forjado nos valores da democracia cristã, do humanismo, que teve dirigentes, como Amaro da Costa, Freitas do Amaral, Adriano Moreira e Bagão Félix, só para citar alguns, apesar de posições marcadamente ideológicas, de direita – não vai enveredar por este caminho do obscurantismo, por este caminho de regresso à idade das trevas.

Aquilo que se espera é que o bom senso regresse e que o CDS, agora com uma liderança relegitimada, se possa concentrar em aspetos muito mais relevantes para o nosso sistema educativo e que tardam em encontrar resposta; que o CDS se dedique a estabelecer plataformas alargadas, para além da coligação, que visem o governo da educação em Portugal a médio prazo.

Três exemplos:

O que é que Portugal quer fazer dos professores portugueses que andam há anos e anos, há décadas, a contrato a termo? Será que alguém acha que a discriminação e a precariedade é a solução?

O que é que Portugal acha do desinvestimento que se está a operar na escola pública e que está a colocar em causa a escola inclusiva, a escola para todos?

O que é Portugal quer fazer aos mais de dois milhões de trabalhadores portugueses que, nos censos de 2011, tinham habilitações inferiores ao ensino secundário?

Entre muitos outros, estes, sim, seriam bons temas para aprofundar o debate no âmbito da educação.

Acácio Pinto
Deputado do PS